Investimentos da Petrobras

16 de junho de 2009 / 14:00 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Conheça a evolução dos investimentos da Petrobras nos últimos anos, com base nas informações que constam no site de Relações com o Investidor.

Veja também: Lucro da Petrobras e Empregados da Petrobras

Petrobras: carro-chefe dos investimentos e crescimento do país

David Fischel e Ricardo Ribeiro Pessôa, ambos ex-presidentes da Associação Brasileira de Engenharia Industrial, assinam artigo publicado em 12 de junho de 2009, no Jornal do Brasil, que traz relação interessante entre o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e a CPI da Petrobras. Sob o título “O que o PAC tem a ver com a CPI”, eles sugerem uma analogia entre engenheiros, PAC, CPI da Petrobras e crescimento econômico brasileiro.

De acordo com os autores, a Petrobras é o carro-chefe dos investimentos e do crescimento do país atualmente. “Nos últimos anos vem ampliando significativamente seus investimentos. Após investir em média, cerca de 0,8% do PIB brasileiro entre 2003 e 2006, a empresa elevou essa participação para 1,3% em 2008. Em 2009, seus investimentos deverão somar 1,9% do PIB”, afirmam Fischel e Pessôa. Sendo a Petrobras o carro-chefe da economia brasileria, é ela também uma das responsáveis pelos investimentos às obras do PAC e pela geração de empregos na área de engenharia que as obras demandarão. “Ter um instrumento tão poderoso a mão é um dos fatores que diferenciam o Brasil do restante do mundo nesse momento de crise, quando os países estão empreendendo esforços históricos para manter a atividade de suas economias”, explicam.

O artigo enumera conquistas da Petrobras recentemente, tais como, “a liderança em programas que resultam em grande qualificação da mão de obra brasileira e o reconhecimento por sua excelência em frentes como exploração em águas profundas, para onde se desloca a fronteira do petróleo”. Os autores concluem assim, que essas características fazem da Petrobras um dos principais redutos da engenharia nacional.

Fischer e Pessôa seguem explicando o temor do segmento da engenharia com a possível instauração da CPI da Petrobras, que, segundo eles, pode dar fim a um ciclo virtuoso de crescimento.  “O que preocupa nesta CPI é o provável desconhecimento técnico e uma indesejável dose de contaminação das investigações por interesses poíticos”.

Ao final do artigo, os autores deixam a recomendação de que a CPI seja encarada com muita prudência, pois, para eles, “ao mirar a Petrobras, pode-se atingir em cheio o processo de retomada do crescimento econômico que livrará o Brasil da crise internacional”.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes