Preconceito e ilações pessoais – A Petrobras esclarece

5 de julho de 2009 / 00:55 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

A Petrobras esclarece que Wilson Santarosa, como gerente executivo da área de Comunicação da maior empresa da América Latina, ligada à administração indireta – com 37% de suas ações de posse do governo federal e o restante dividido entre acionistas privados nacionais e internacionais – tem, no escopo de suas atividades, ações de marketing e relacionamento. Isso significa que ele deve estar presente a eventos que a Petrobras patrocina, convidar acionistas, autoridades ou personalidades, comparecer a solenidades ou recepções como representante da Companhia. Também compete a ele verificar o uso adequado da marca Petrobras em eventos patrocinados e a viabilidade, através de visitas ou contatos, a associação da Companhia a instituições culturais, sociais e ou esportivas.

É o caso de sua ida a Roland Garros, nos anos de 2004 e 2005, a convite da Octagon Koch Tavares, que organiza os torneios da Associação dos Tenistas Profissionais – ATP no Brasil desde 1972. Santarosa foi negociar com a ATP a vinda para a América Latina o único torneio challenger de tênis que conta pontos para a ATP e que hoje é a porta de entrada para novos atletas. O fato já foi noticiado em coluna esportiva de O Globo no dia 30/6. A Octagon Kock Tavares desenvolve ações de relacionamento da mesma forma que a Petrobras o faz também, em vários de seus eventos patrocinados como já fez na Fórmula 1, quando levou convidados ao exterior para o camarote da equipe WilliansF1.

Se o repórter de O Globo, como manda a ética jornalística, tivesse ouvido o outro lado, pouparia os leitores de um texto distorcido, com insinuações de favorecimento e também conflito de interesses. Aliás, sobre este último, cabe esclarecer que a ida do executivo foi informada ao Presidente da Petrobras à época, conforme determina o item 3.4 do Código de Ética do Sistema Petrobras. Sua presença no torneio francês era uma atividade pública, que não fere os princípios que norteiam a atividade de todos os empregados da Petrobras, sejam eles gerentes ou não.

Cabe esclarecer também que o entendimento jurídico da Petrobras, para todos os seus empregados é de que a aceitação eventual de convites de fornecedores da empresa, sem que haja qualquer irregularidade nas relações comerciais estabelecidas, não se configura nem dá sustentação a denúncias de desvio ético.

Ainda sobre o relacionamento comercial da Petrobras com a Koch Tavares há outro erro grave: não houve “repasse” de R$8,3 milhões à empresa. Esse foi o custo da Copa Petrobras de Tênis, torneio oficial da ATP, realizado em 2008 – com organização da Octagon em parceria com outras empresas que atuam junto à ATP – cujas etapas foram realizadas em cinco países da América Latina, onde a Petrobras mantém atividades.

Relações familiares – Ao mesmo tempo em que, sistematicamente, omite o resultado da área que o “ex-sindicalista” comanda – e configura o preconceito ao dizer, por exemplo – de maneira dirigida – que muitos “já aprenderam a circular em salões e roteiros internacionais”, o repórter comete novos erros de apuração que, desta vez, atingem seus familiares. A jornalista Geide Miguel, esposa de Wilson Santarosa, foi responsável pela criação da Ouvidoria da Transpetro, onde atuou a convite de seu presidente Sérgio Machado, entre os anos de 2003 e 2007. Em 2008, a convite do presidente da Petrobras Distribuidora, em virtude de seus conhecimentos técnicos, assumiu a Ouvidoria da BR.

Quanto a Patrícia Lia Santarosa, bióloga formada pela Unicamp, os equívocos e a deturpação são ainda mais grosseiros. Ela não trabalha em uma ONG. A filha do executivo da Petrobras atua, desde 2005, em uma fundação de caráter público, ligada a prefeitura municipal de Campinas. A Fundação, que atua na preservação da Mata Santa Genebra, em Campinas, teve atividades patrocinadas pela Petrobras até 2004, no valor de 126 mil reais, em convênio firmado na administração municipal anterior, antes da contratação de Patrícia Lia Santarosa.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes