Símbolo de transparência: carta ao Valor Econômico

15 de julho de 2009 / 10:30 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

jornalNa coluna “Um símbolo sob suspeita” (14/07), de Raymundo Costa, publicada no Jornal Valor no dia 14/07, não é verdadeira a informação de que a Petrobras teria pressionado fornecedores e prestadores de serviços em relação à CPI. A Companhia também não está na “defensiva”, como diz o colunista e tem prestado todos os esclarecimentos aos órgãos fiscalizadores, imprensa, parlamentares e à sociedade em geral. A Petrobras prestará todos os esclarecimentos necessários, incluindo aqueles relativos a seus patrocínios.

A Petrobras reforça a informação de que é intensamente fiscalizada por auditorias externas, pelo Tribunal de Contas da União (TCU), Controladoria Geral da União (CGU), Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Securities and Exchange Commission (SEC), dos Estados Unidos. Além delas, tem uma auditoria interna, subordinada ao Conselho de Administração, o que garante sua independência em relação à diretoria executiva.

A Companhia celebra anualmente cerca de 240 mil contratos. Todas as (raras) ocasiões em que são constatadas irregularidades, a Petrobras adota as medidas administrativas e judiciais competentes. A Petrobras é reconhecida internacionalmente como uma empresa transparente e responsável. E recentemente, passou do vigésimo para o quarto lugar entre as empresas mais respeitadas do mundo, segundo pesquisa divulgada pelo Reputation Institute (RI), instituição privada de assessoria e pesquisa, com sede em Nova York.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes