Postura preconceituosa e ultrapassada

22 de julho de 2009 / 23:00 Opinião Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Nossa opinião

Dig26280A Petrobras lamenta o posicionamento equivocado e preconceituoso expresso na nota da redação do Globo de hoje (22/7), que ignora valores básicos da constituição brasileira e entra em contradição com a própria linha editorial do seu caderno “Razão Social”, no que diz respeito às práticas de responsabilidade social empresarial.

A Carta constitucional e a própria lei 6.404/76, conhecida com a Lei das Sociedades Anônimas, reafirmam a função social das empresas “O acionista controlador deve usar o poder com o fim de fazer a companhia realizar o seu objeto e cumprir sua função social, e tem deveres e responsabilidades para com os demais acionistas da empresa, os que nela trabalham e para com a comunidade em que atua, cujos direitos e interesses deve lealmente respeitar e atender”. A Petrobras atua de forma coerente e comprometida com o desenvolvimento econômico e social do Brasil e de todos os brasileiros. E repudia qualquer interpretação discriminatória em relação à causa da igualdade racial e às manifestações culturais das populações afro-descententes.

A proposta de patrocínio apresentada, e aceita pela Petrobras, para a celebração do Dia Nacional da Consciência Negra com o projeto “Quilombolas Cariocas”, em 30 de novembro de 2007, contemplava a abertura do evento pelo grupo Afoxé Filhos de Gandi e uma grande roda de samba, com a presença de artistas consagrados. Outras atividades também foram realizadas, como missa e debates voltados para a discussão e promoção da igualdade racial. O patrocínio da Petrobras ao evento “Quilombolas Cariocas” fez parte das ações de divulgação e valorização da marca naquele ano, de forma convergente e complementar às suas práticas de responsabilidade social, campo onde a empresa é reconhecida como referência nacional e internacional.

A patrocinada comprovou sua regularidade fiscal e cumpriu todas as exigências legais estabelecidas para a contratação. Realizou as atividades previstas dentro de valores de mercado e cumpriu os compromissos de divulgação da marca. Não há nenhum registro de irregularidades na execução do objeto contratado.

O Globo tenta imputar ao evento e à conduta da Petrobras equívocos que não existem e responsabilidades que extrapolam os deveres e precauções exigidas na legislação para suas ações de patrocínio.

A verdade é que a suposta “denúncia,” além de se caracterizar como mais uma falácia, agora vem acompanhada de uma Nota da Redação que traduz postura preconceituosa e ultrapassada.

nota da redação 22 7

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes