Sessões da CPI e CCJ desta terça-feira 18/8

18 de agosto de 2009 / 16:11 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

cpi 18 8CPI – A sessão desta terça-feira (18/8) da CPI ouviu depoimentos do diretor geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustível (ANP) Haroldo Lima e o diretor de gás Natural e Biocombustíveis da ANP, Vitor de Souza Martins. Também foram ouvidos o procurador da ANP, Tiago do Monte Macedo, os procuradores da República Ana Carolina Rezende de Azevedo Maia e José Robalinho Cavalcanti, o superintendente de Controle das Participações Governamentais, José Gutman, e o diretor da ANP Nelson Narciso Filho.

Depois de quase quatro horas e meia de sessão, os senadores presentes à CPI da Petrobras rejeitaram o bloco de 66 requerimentos que tinham parecer contrário do relator, Romero Jucá (PMDB-RR). Apenas dois requerimentos foram aprovados, os de número 137 e 138, que convidam os engenheiros da Petrobras Glauco Colepicolo Legatti, gerente geral de Implementação de empreendimentos para a Renest da Engenharia, e Sérgio dos Santos Arantes, gerente de Engenharia de Custo e estimativas de prazos da Diretoria de Engenharia da Petrobras. Os dois falarão sobre a Refinaria de Pernambuco.

LinaCCJ - A sessão da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) do Senado Federal ouviu a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira. Durante a audiência, Lina informou que não falaria sobre a mudança no regime tributário para compensar variações cambiais feita pela Petrobras, uma vez que não era esse o objetivo de seu depoimento à Comissão. Lina destacou que o atual Secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, é capaz de responder sobre todos os atos da instituição.

Cartaxo já respondeu a questionamentos em depoimento à CPI da Petrobras no dia 11 de agosto, falando pela Receita Federal e pelo governo brasileiro. Na ocasião, informou que nem o Código Tributário Nacional, nem instruções normativas da Receita, estabelecem o momento para as empresas optarem por um dos regimes de apuração das variações cambiais, se de caixa ou de competência.

O secretário confirmou que nenhuma empresa foi multada por mudança de regime de recolhimento de tributos e esclareceu que o pagamento de impostos com créditos tributários não implica prejuízo para União, estados e municípios. Antes de assumir o cargo de secretário da Receita, Cartaxo era secretário adjunto de Lina Vieira.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes