Por dentro do MST: carta à Veja

1 de setembro de 2009 / 19:44 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

vejaEm relação à matéria Por dentro do cofre do MST, publicada nesta revista, edição 2128, páginas 65 a 69, gostaríamos de esclarecer: A Petrobras tem convênio no valor de R$ 500 mil com a Cooperbio, no Ceará, para criar uma rede de produtores familiares que fornecerão oleaginosas (mamona, girassol e algodão) consorciados com alimentos. Ressalte-se que para a obtenção da certificação do Selo Combustível Social, a produção da usina de Quixadá (CE) deve ter 30% do seu abastecimento oriundo da agricultura familiar.

O convênio com a Cooperbio, no Ceará, foi assinado em 7 de março de 2008 para beneficiar 6 mil agricultores. Nessa data, a Petrobras Biocombustível ainda não tinha sido constituída. Além disso, o senhor Romário Rossetto, presidente da Cooperbio, não é primo do senhor Miguel Rossetto, que assumiu a presidência da Petrobras Bicombustível em 6 de maio de 2009.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes