Táticas na CPI da Petrobras

15 de setembro de 2009 / 12:07 Reportagens Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

JornalReportagem do jornal Valor Econômico dessa terça-feira (15/9), Governistas esvaziam CPI da Petrobras , aponta as táticas usadas na CPI e a tentativa de conseguir provas das supostas irregularidades da empresa. Leia alguns trechos abaixo:

“Temos muita dificuldade em conseguir informações contra a Petrobras”.

“Não temos muitas denúncias concretas contra a Petrobras. Até mesmo o Tribunal de Contas da União ainda está revendo as irregularidades”.

“São denúncias que têm mais visibilidade política (…)”

“Vamos acabar ‘mordendo’  alguma coisa nessa fase.”

Os patrocínios são muito pulverizados, o que dificulta o controle da Petrobras” .

Segundo a reportagem, um senador explicou que a oposição contava com a “colaboração da imprensa” , para fazer novas denúncias e que sem isso “fica difícil surgir mais informações contra a estatal” . “Botamos fé na imprensa” , comentou.
versão online

Veja  a seguir carta enviada ao Valor Econômico sobre matéria “Questão de Equilíbrio”.
Em relação à matéria “Questão de equilíbrio”, publicada nesta segunda-feira (14/9), pelo Valor Econômico, a Petrobras esclarece que está comprometida com o desenvolvimento sustentável e empenhada em reduzir a emissão de carbono de seus processos e produtos.

Portanto, não procede a afirmação do secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, segundo a qual a Companhia se “incomoda” com o projeto de lei que tramita na Assembléia Legislativa desse estado. A Petrobras cumpre e cumprirá integralmente a legislação ambiental onde atua, como sempre fez.

A Companhia ressalta que definiu como diretriz para o desenvolvimento da produção do Pólo Pré-sal da Bacia de Santos não ventilar para a atmosfera o CO2 associado ao gás produzido. Para isso, investe em projetos-piloto para testar a tecnologia do sequestro geológico de carbono, que consiste na captura, compresão e injeção em reservatórios geológicos. A expectativa é de que em 2017 a Petrobras já disponha dessa tecnologia testada, demonstrada e economicamente viável para aplicação em seus empreendimentos.

Também é importante lembrar que a Petrobras disponibiliza, desde janeiro de 2009, o diesel S-50, com menor teor de enxofre, para a frota cativa de ônibus de São Paulo. Hoje, as cidades do Rio de Janeiro, Fortaleza, Belém e Recife também recebem o S-50, como foi acordado com o Ministério Público Federal em 30 de outubro de 2008. Curitiba recebe o combustível este mês. Em 2010, o diesel será disponibilizado para as frotas cativas de ônibus urbanos de Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e da Região Metropolitana da cidade de São Paulo. Em 2011, o S-50 será fornecido às frotas cativas de ônibus de três regiões metropolitanas do Estado de São Paulo (Baixada Santista, Campinas e São José dos Campos) e da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes