Descarte de efluentes do Comperj: resposta a O Globo

30 de setembro de 2009 / 00:10 Respostas à Imprensa Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Mosteiro de São Boaventura - Itaborai

Pergunta

Como conversado por telefone, tivemos a informação de que a Petrobras estaria estudando a possibilidade de construir um emissário submarino na costa de Maricá para lançar adequadamente os efluentes produzidos pela empresa no Comperj. Gostaria de confirmar a informação e saber se ainda está em fase de estudo ou a empresa já decidiu por essa solução. Mesmo que ainda esteja em estudo, vale matéria. Gostaria de obter detalhes do projeto, como mapas localizando as instalações, investimento, capacidade do emissário, se o emissário vai captar efluentes domésticos de toda a região, etc.

Resposta

A Instrução Técnica emitida pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão ambiental responsável pelo licenciamento do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), orienta que sejam estudadas três alternativas para o descarte de efluentes do complexo (Baía de Guanabara – via São Gonçalo e via Niterói – e Maricá). No momento, a Petrobras está em processo de licitação para a contratação da empresa que vai elaborar o Estudo de Impacto Ambiental (Eia-Rima) e estão sendo feitos os levantamentos preliminares para subsidiar o projeto.

Somente após a conclusão dos Estudos de Impacto Ambiental será possível apresentar ao Inea a análise das alternativas, para que em conjunto com aquele órgão seja escolhida a mais indicada.

Leia aqui a matéria “Comperj poderá ter emissário submarino”, publicada na ediçao desta quarta-feira (30/9).

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes