Presidente da Petrobras discute pré-sal na Câmara

30 de setembro de 2009 / 02:36 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, participou nesta terça-feira (29/9) de audiência pública na Câmara dos Deputados sobre o novo modelo regulatório do pré-sal. No debate, promovido pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, de Minas e Energia e de Finanças e Tributação, Gabrielli disse que a velocidade de instalação de novas áreas de exploração tem relação direta com a capacidade de crescimento da indústria brasileira. Gabrielli frisou que a perspectiva é de que a produção cresça em 1,9 milhão de barris diários até 2020. “Isso significa dobrar a produção em termos líquidos”, explicou.

Veja no site da Câmara dos Deputados:

Pré-sal demandará 243 mil técnicos, diz presidente da Petrobras
Petrobras: falta equipamento e não recurso para explorar pré-sal
Pré-sal: Petrobras emitirá ações para pagar União pela exploração
Começa audiência com Gabrielli sobre partilha no pré-sal
Comissões ouvem Gabrielli sobre marco legal do pré-sal

Para Gabrielli, a questão das mudanças climáticas vai pesar na decisão de ampliar os investimentos na área de biocombustíveis. O orçamento da Petrobras para o setor é de US$ 2,4 bilhões nos próximos quatro anos. O presidente informou também que o investimento da Companhia no setor de gás será de US$ 23 bilhões até 2013. Ainda de acordo com Gabrielli, há momentos em que o Brasil produz mais gás do que precisa. “Então precisamos ter capacidade de liquefazer o gás e vendê-lo”, afirmou.

Para o representante da Comissão de Minas e Energia, deputado Arnaldo Vianna (PDT-RJ), a Petrobras é uma empresa que traz desenvolvimento para o país. “Temos vários motivos para comemorar e agradecer aos servidores da Petrobras”, afirma. Já o presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, deputado Edmilson Valentim (PCdoB-RJ), avalia que ainda são necessários vários debates para a definição do modelo regulatório. “Como é uma gama enorme de assuntos, as dúvidas são bastante freqüentes. Um debate extenso irá aprofundar o assunto e garantir que se produza uma legislação que melhor represente o atual estágio de desenvolvimento do país”, observa.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes