Refinaria do Rio Grande do Norte recebe licenças

2 de outubro de 2009 / 23:16 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Dig28995A Petrobras recebeu na manhã desta sexta-feira, 2/10, todas as licenças do Governo do Estado do Rio Grande do Norte que permitirão o início das obras de ampliação da Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC). A refinaria funcionará com a adequação das instalações existentes do Pólo Industrial de Guamaré, que já produz gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, diesel e querosene de aviação (QAV), e vai produzir, a partir de 2010, gasolina e diesel com qualidade internacional, além de nafta petroquímica.

Os representantes da Petrobras receberam da governadora do estado do Rio Grandedo Norte, Wilma Faria, as licenças para inicio das obras e afirmou que todas as providencias necessárias já estão sendo tomadas. “Já contratamos a empresa e agora precisamos trabalhar para cumprir os prazos”, afirmou. Para a governadora, a RPCC representará um importante investimento da Petrobras no Rio Grande do Norte. “Este é o marco de uma nova fase da Petrobras em nosso estado”, afirmou.

Como todas as refinarias da Petrobras, a Clara Camarão poderá refinar tanto petróleo pesado da Bacia de Campos como petróleo leve do pré-sal. Entretanto, nesta primeira fase, o petróleo que será processado pela refinaria será o produzido no Rio Grande do Norte e a capacidade de processamento será de 30 mil barris de petróleo por dia. Além disso, a RPCC produzirá 4,5 mil barris diários de gasolina, o que tornará o estado auto-suficiente em relação a este produto.

Desde a sua implantação, o Pólo Industrial de Guamaré recebeu um montante de investimentos de US$ 1,65 bilhão. O investimento na ampliação das instalações será de US$ 215 milhões, totalizando US$ 1,86 bilhão. Após as obras, a Clara Camarão contará com um novo quadro de bóias com capacidade para atracar navios de 50 mil toneladas, além de uma unidade de produção de gasolina automotiva. Assim, o Rio Grande do Norte terá uma refinaria moderna, que produzirá após a sua conclusão, 18 mil m3 de gasolina, 42 mil m3 de diesel, 7.500 m3 de QAV, 11.700 m3 de GLP e 3 mil m3 de nafta petroquímica.

Homenagem a Clara Camarão, índia brasileira que liderou um grupo de nativas na luta contra os holandeses durante a colonização, esta será a primeira refinaria da Petrobras que recebe nome de mulher. Clara Camarão comandou um batalhão feminino que teve atuação decisiva na batalha ocorrida na cidade de Porto Calvo em 1637.

A Clara Camarão é uma das cinco unidades de refino projetadas pela Petrobras para elevar sua produção em 1,2 milhões de barris/dia até 2015. A capacidade de refino da Petrobras no Brasil é de 1,9 milhões de barris/dia, volume que é superior à demanda nacional de derivados, atualmente em torno de 1,8 milhão de barris/dia. Com isso a Petrobras terá capacidade excedente de derivados, principalmente óleo diesel de alta qualidade, para exportação.

Participaram da solenidade o Secretário de Energia do Estado, Jean Paul Prattes, representantes do IDEMA, o gerente geral da RPCC, Ney Argolo, o gerente geral da Unidade de Negócio de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará, Joelson Falcão Mendes, o gerente de engenharia para o Rio Grande do Norte e Ceará, Rogério Ligori, e o gerente de engenharia da Refinaria, Emanuel Eduardo.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes