Gabrielli inaugura laboratório e participa de seminário na USP

1 de dezembro de 2009 / 10:27 Tecnologia e Inovação Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-


A Petrobras e a Universidade de São Paulo (USP) inauguraram nesta terça-feira (1/12) o novo laboratório do Tanque de Provas Numérico – TPN.  O projeto faz parte da Rede Temática de Computação Científica e Visualização, conhecida como Rede Galileu, que possibilitou a construção de novas instalações do TPN-USP em uma área de quase 1600 m2, com acomodações para mais de 80 pesquisadores. Com a modernização, este laboratório da USP passa a ser um dos mais avançados do mundo para a realização de ensaios e testes em sistemas de produção de petróleo e gás offshore (em alto mar). Na parte da tarde, Gabrielli participou do primeiro seminário do ciclo “Pré-sal na USP” com o tema “O Contexto Energético, as Perspectivas do Pré-sal e o Modelo de Organização da Indústria de Petróleo no Brasil”.

Além de obras civis, a modernização incluiu a instalação de um cluster computacional de 55 teraflops de capacidade, criando um sistema de alta confiabilidade e desempenho no processamento de dados nos projetos de exploração e produção (E&P). Foi criada uma sala de Realidade Virtual, conectada ao Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) e às outras instituições da Rede Galileu, o que permite o desenvolvimento e acompanhamento integrado de projetos e operações.

Outro destaque é o novo calibrador físico hidrodinâmico, um tanque com 4 m de profundidade e 14 m x 14 m de superfície que permite criar ondas multi-direcionais para executar ensaios de sistemas oceânicos. O novo calibrador oferece rapidez e simplicidade nos testes de modelos conceituais de unidades flutuantes.

Com o funcionamento do calibrador hidrodinâmico do TPN, pesquisas e testes antes realizados no exterior podem ser desenvolvidos na nova infraestrutura. O CH-TPN vem somar aos recursos hoje disponíveis, formando três laboratórios complementares: LabOceano (Coppe/UFRJ), com ensaios de plataformas com modelos completos, e o Tanque de Reboque do IPT, com ensaios de embarcações com velocidade de avanço.

O Tanque de Provas Numérico da Universidade de São Paulo tem colaborado com a Petrobras desde 2002 no desenvolvimento de conceitos inovadores e em estudos/análises da produção/exploração em águas profundas. A USP é uma das quinze instituições da Rede Temática Galileu – juntamente com a UFRJ, PUC-Rio, USP, UFAL, ITA, INPE, LNCC, UFAM, INPA, UFC, UFMA, UFPE, UFRGS, UFRN e Unicamp.

Sobre as Redes Temáticas

Entre 2006 e 2009 a Petrobras investiu cerca de R$ 1,8 bilhão em universidades e institutos de pesquisa brasileiros. A estratégia definida para estes investimentos tem proporcionado uma mudança significativa na qualificação laboratorial das instituições tecnológicas parceiras. Com o sucesso do modelo de Redes Temáticas, implantado a partir de 2006 para fazer frente às obrigações contratuais dos contratos de concessão, o número de temas abordados cresceu e hoje já são 50 Redes Temáticas, reunindo 80 instituições em todo o país.

Ouça a reportagem da Jovem Pan sobre o laboratório.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes