Petrobras suprirá demanda de 135 milhões m3/dia de gás, prevista para 2013

5 de dezembro de 2009 / 09:37 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, participou nesta sexta-feira (4/12), do 14º Encontro Anual da Indústria Química, realizado em São Paulo. Durante o evento, que reuniu aproximadamente 600 pessoas, Gabrielli destacou que a Companhia pretende suprir a demanda, de 135 milhões metros cúbicos diários de gás, prevista para 2013. “Vamos ampliar a capacidade de entrega de Gás Natural Liquefeito importado (GNL) por meio do aumento da capacidade de regaseificação do Brasil, que aumentará de 21 para 32 milhões de metros cúbicos diários. Além disso, a oferta brasileira de gás até 2013 será ampliada de 29 para 73 milhões de metros cúbicos diários, que, somada aos 30 milhões de metros cúbicos diários originados na Bolívia, atenderão a demanda esperada deste período”, informou.

Em sua apresentação, Gabrielli falou sobre as perspectivas da economia brasileira para 2010 e o Plano de Negócios da Companhia, que prevê investimentos de US$ 174,4 bilhões entre 2009 e 2013, sendo três bilhões de dólares para as atividades na petroquímica. O presidente ressaltou que a recuperação da economia nacional proporciona bons resultados na petroquímica. “Temos uma visão bastante otimista sobre o futuro da indústria de gás, petróleo, fertilizantes e petroquímica para o País”, disse.

Veja aqui a repercussão desse evento em nota publicada pela Agência Bloomberg “Petrobras to Expand $174.4 Billion Investment Plan”.

Sobre a política de preços da Petrobras em relação ao gás, o presidente da Companhia disse que a lei brasileira garante aos estados o monopólio da distribuição desse produto. “O preço do gás em cada estado é de responsabilidade da distribuidora estadual. A Petrobras não pode vender o gás diretamente aos consumidores individuais”, explicou.

Ainda durante o 14º Encontro Anual da Indústria Química, a Innova, empresa pertencente à Petrobras Energía, recebeu menção honrosa do Prêmio Abiquim de Tecnologia, na categoria empresa. Durante a premiação, a Innova foi representada pelo gerente de tecnologia e desenvolvimento, Marcos Dal Pizzol. Uma das principais petroquímicas de segunda geração do País, a Innova produz e comercializa estireno e poliestireno e atende ao mercado nacional e internacional.

O evento também contou com a presença do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e do presidente do Conselho Diretor da Abiquim, Bernardo Gradin, além de investidores, empresários e executivos.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes