Os 20 anos do Projeto Golfinho Rotador

28 de março de 2010 / 12:03 Vídeos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O Projeto Golfinho Rotador está comemorando 20 anos de existência agora em março. Sua missão é desenvolver ações de pesquisa, educação ambiental e envolvimento comunitário, buscando a conservação dos golfinhos-rotadores, de Fernando de Noronha e da biodiversidade marinha. Desde 2001, o projeto é patrocinado pela Petrobras.

Veja o vídeo abaixo e conheça mais sobre o trabalho desenvolvido.

A alta frequência de golfinhos-rotadores, a falta de conhecimento sobre esses animais e a preocupação com o crescimento desordenado do turismo náutico em Fernando de Noronha levaram à criação do Projeto Golfinho Rotador em 26 de março de 1990.

Ele é resultante da parceria entre o Centro Mamíferos Aquáticos, um centro de fauna especializado do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, e o Centro Golfinho Rotador, uma organização não governamental socioambiental de Fernando de Noronha.

Nos seus 20 anos, o Projeto Golfinho Rotador apresentou vários resultados positivos para os rotadores, para a população noronhense, para os visitantes e para a comunidade científica. O projeto executa suas ações por meio de três programas: pesquisa, educação ambiental e envolvimento comunitário.

Golfinhos-rotadores

O rotador é um golfinho oceânico e tropical que vive em agrupamentos de três a mais de dois mil indivíduos. É a terceira espécie de golfinho mais abundante do mundo e tem o nome popular de golfinho-rotador em função de seu comportamento de saltar fora d’água e realizar até sete rotações em torno do próprio eixo.

A probabilidade de se encontrar golfinhos em Fernando de Noronha é a mesma desde 1990, demonstrando que os esforços de conservação do IBAMA, do ICMBio e do Projeto Golfinho Rotador têm dado certo, apesar de já começarmos a ver algumas alterações quanto ao tempo de permanência dos rotadores na Baía dos Golfinhos.

Os golfinhos-rotadores de Noronha, que têm o nome científico de Stenella longirostris, vivem na Cadeia de Montanhas Submarina de Fernando de Noronha, uma área de forma retangular com tamanho aproximado de 500 km por 200 km.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes