Área de petróleo e gás lidera investimentos do PAC 2

29 de março de 2010 / 16:32 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, participou hoje, em Brasília, do lançamento do PAC 2, a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal, que prevê investimentos totais de R$ 1,59 trilhão a partir de 2011. O novo PAC foi lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, em evento com presença de ministros, governadores, prefeitos, parlamentares e de representantes do setor empresarial e dos movimentos sociais.

Segundo Gabrielli, o Conselho de Administração da Petrobras autorizou a inclusão de recursos de projetos da Companhia no PAC 2 no montante de até R$ 250 bilhões , até 2014, e mais R$ 462 bilhões pós-2014. Os investimentos fazem parte do Plano de Negócios da Companhia, que está fase de desenvolvimento e que envolve 645 projetos, sendo que um terço deles está incluído no PAC 2.

PAC 2 – A segunda etapa do PAC compreende novos projetos com investimentos para o período 2011-2014 e pós-2014 e incorpora ações com etapas iniciadas no primeiro PAC e que tinham originalmente cronogramas de execução previstos para depois de 2010. A segunda edição do Programa tem previsão de investimentos de R$ 958,9 bilhões, no período 2011-2014. Para os anos pós-2014, a estimativa de investimentos é de R$ 631,6 bilhões. Os dois períodos somados alcançam um montante de R$ 1,59 trilhão.

A maior parte dos investimentos será na área de energia, um montante de R$ 1.092,6 trilhão, sendo R$ 465,5 bilhões entre 2011 e 2014 e R$ 627,1 bilhões pós-2014. Os recursos serão utilizados nas áreas de geração e transmissão de energia elétrica, Petróleo e Gás Natural, Indústria Naval, combustíveis renováveis, eficiência energética e pesquisa mineral. Segundo a ministra Dilma Rousseff, a meta é garantir a segurança do suprimento a partir de uma matriz energética baseada em fontes renováveis e limpas e desenvolver as descobertas no Pré-Sal, ampliando a produção. O governo quer, ainda, consolidar o Brasil como um dos países com a matriz energética mais limpa, com investimentos em agroenergia, que utiliza fontes renováveis e de baixa emissão de carbono, como os biocombustíveis e o etanol.

O assunto repercutiu em vários sites:
O Globo: “Petrobras prevê incluir mais R$ 462 bilhões no PAC após 2014″
Estadão: “PAC 2 inclui projetos da Petrobras de até R$ 250 bi”
Energia Hoje: “771,4 bi para E&P”

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes