Até R$ 250 bilhões em investimentos para o período 2011-2014

30 de março de 2010 / 11:22 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

 

Em reunião realizada segunda-feira (29/3), o Conselho de Administração da Petrobras aprovou, em continuidade à revisão do Plano de Negócios 2010 – 2014, a atualização da carteira de projetos para o período 2011 – 2014, totalizando investimentos de até R$ 250 bilhões, ao invés de R$ 265 bilhões aprovado em reunião anterior e divulgado em comunicado em 19 de março de 2010 e que foram incluídos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC-2). 

O Conselho também aprovou para o período pós 2014, um conjunto de projetos que totalizam investimentos de aproximadamente R$ 462 bilhões, que também foram incluídos no PAC-2. Esses projetos foram avaliados com base em visão preliminar, dado o grau de conhecimento atual, e alinhados à Visão 2020 do Plano Estratégico da Companhia. Cabe destacar que parte dos investimentos pós 2014 representam a continuidade de projetos já existentes na carteira de 2010 – 2014, que possuem prazo de maturação superior aos 5 anos do Plano de Negócios, com destaque para os projetos de exploração e produção. 

Na área de Exploração e Produção (E&P) os investimentos têm como objetivo aumentar a produção de petróleo e gás natural, aproveitando o sucesso exploratório alcançado no pós e pré-sal e inclui também o aumento das atividades exploratória, essencial para a sustentabilidade da Companhia. A carteira de projetos do E&P compreende a construção de plataformas de produção e perfuração, navios de apoio e investimentos em infraestrutura para escoamento da produção. 

No Refino, Transporte, Comercialização (RTC) e Petroquímica os investimentos serão realizados para aumentar a produção de derivados para atender à crescente demanda do mercado doméstico, agregando valor ao óleo produzido, aumentando as margens da Companhia, permitindo também a exportação de derivados e petroquímicos. Também serão realizados investimentos para melhorar a qualidade dos derivados, atendendo aos padrões internacionais e ambientais mais rigorosos. 

Para a área de Gás & Energia os objetivos são a diversificação e flexibilização das fontes de suprimento de gás natural, para o aproveitamento do gás associado produzido no pré-sal. Na área de fertilizantes os investimentos serão direcionados para aumentar a escala de produção dos fertilizantes, garantindo demanda adicional para o gás natural, visando à ampliação dos ganhos da companhia com a produção de gás, aproveitando o grande potencial agrícola brasileiro com demandas crescentes por fertilizantes. 

O Plano também prevê investimentos em novas plantas de etanol e biodiesel e infraestrutura para escoamento da produção de etanol. Com isso a Companhia pretende participar da cadeia produtiva do etanol e do biodiesel, consolidando o mercado interno de biodiesel com alternativas competitivas em relação à soja, priorizando matérias-primas da agricultura familiar de forma sustentável e desenvolvendo mercados internacionais de forma seletiva. 

Os investimentos a serem realizados pela Companhia estão alinhados ao seu Plano Estratégico que prevê crescimento integrado, com rentabilidade e responsabilidade social e ambiental. Deverão também atender a uma análise de financiabilidade que limite o indicador Dívida Líquida/EBITDA em 2,5 e o grau de alavancagem líquida inferior a 35%, com geração de valor para o acionista.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes