Parque Natural de Gericinó: respostas a O Globo

3 de abril de 2010 / 10:04 Respostas à Imprensa Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

jornal1Leia abaixo as respostas da Petrobras enviadas ao jornal O Globo. A matéria  “Natureza sob risco” foi publicada neste sábado (3/4), no suplemento Baixada.

1) A área onde será criado o Parque Natural de Gericinó, em parceria da prefeitura de Nilópolis com a Petrobras, está sendo utilizada como depósito de entulho e lixo. Na última sexta-feira, O GLOBO fotografou caminhões despejando entulhos de construção civil e encontrou também plástico, lixo e até móveis no local. O município argumenta que o local está sendo aterrado com material de construção civil que é recolhido de obras do PAC. Ambientalistas consultados, no entanto, lembram que estes resíduos podem representar riscos para o solo da região, que abriga fragmentos florestais e fica nos limites da Área de Proteção Ambiental (APA) de Gericinó. Ainda na área do parque – onde a Petrobras está investindo R$ 1 milhão para proteção e preservação – foi instalada uma pista de motocross que, inclusive, sediou no último final de semana o Campeonato Carioca de Arena SuperCross 2010, evento oficial de Motociclismo. Em abril, entre os dias 21 e 25, está previsto o I Nilópolis Rodeio Show. A área a que me refiro está neste mapa de Nilópolis, cujo link do google maps segue abaixo.

http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=-22.819958,-43.429706&spn=0.009968,0.013754&t=h&z=16.

A Petrobras tem conhecimento deste assunto? A empresa concorda com a forma como está sendo feito o aterro? A Petrobras foi comunicada sobre os eventos esportivos na área do Parque?

Resposta: A gestão do Parque Natural do Gericinó é de responsabilidade exclusiva da prefeitura de Nilópolis, não cabendo à Petrobras nenhuma ingerência nesse processo. Temos conhecimento que a partir da cessão da área pelo Exército Brasileiro, a Prefeitura conta com algumas parcerias, como o próprio Exército, o Ministério dos Esportes, a Firjan, a Petrobras, a Vale do Rio Doce, para elaborar e implementar o Plano de Manejo do Parque.

Tratando especificamente da parceria da Petrobras, a companhia patrocina o projeto desenvolvido pelo Centro de Convivência, Artes, Cultura e Humanismo – Alma Barroca, com o apoio da Prefeitura, que tem como objetivo elaborar o Plano de Manejo do Parque e contribuir para sua implementação por meio das seguintes atividades: a construção do horto compartilhado; a identificação e mapeamento de fontes de captação de água e fontes poluidoras nos rios Sarapuí, rio do Pau e rio Pavuna; a proposição de ações despoluidoras nos rios Sarapuí e Pavuna; e a implantação de um Programa de Educação Ambiental e de um Centro de Visitantes. Os investimentos previstos somam em torno de R$ 1,2 milhão. Foi desembolsada a primeira parcela no valor de R$ 348.864,06.

2) A Petrobras tem conhecimento deste assunto? A empresa concorda com a forma como está sendo feito o aterro?

Resposta: A Petrobras foi informada pela Prefeitura de Nilópolis de que não há aterro no local citado. Segundo a Prefeitura, provisoriamente, a área mencionada recebe material proveniente da atividade de desassoreamento do rio Sarapuí em apoio ao Projeto Iguaçu, de recuperação ambiental das bacias dos rios Iguaçu/Botas e Sarapuí, realizado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Secretaria de Estado do Ambiente.

3) A Petrobras foi comunicada sobre os eventos esportivos na área do Parque?

Resposta: Eventos esportivos não estão no escopo do contrato de patrocínio firmado entre a Petrobras e Alma Barroca para a execução do Projeto. A companhia não tomou conhecimento desses ou de outros eventos. Sugerimos que entre em contato com a Prefeitura para mais informações.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes