Presidente da Petrobras participa da Conferência Internacional Ethos 2010

11 de maio de 2010 / 19:59 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, participou nesta terça-feira (11/5) da Conferência Internacional Ethos 2010, onde falou sobre o tema “Como o Pré-Sal pode Contribuir para a Sustentabilidade”, além de outras ações e projetos socioambientais da Companhia. A área conhecida como pré-sal se estende do Espírito Santo a Santa Catarina e pode transformar o Brasil num dos maiores produtores e exportadores de petróleo do mundo, além de possibilitar que o Brasil continue autossuficiente por muitos anos.

A Petrobras tem como filosofia aliar o seu crescimento ao desenvolvimento social e ambiental e busca conciliar a necessidade de suprir a energia necessária ao desenvolvimento do país com seus compromissos no que diz respeito à melhoria do seu desempenho ambiental.

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética, entidade vinculada ao Ministério de Minas e Energia e a Agência Internacional de Energia (International Energy Agency) os combustíveis não renováveis ainda dominam a matriz energética mundial (87%). Atualmente a matriz energética brasileira destaca-se neste cenário por ter 46% de origem renovável, contra 13% da média mundial.

Em 2030 a previsão é de que 86% da matriz energética mundial serão formados por combustíveis não renováveis e 14% serão renováveis. No Brasil a previsão é de que 54% serão combustíveis não renováveis e 46% renováveis.

Veja a apresentação do presidente da Petrobras.

Caso não consiga visualizar, clique aqui com o botão direito do mouse e abra uma nova página.

Conheça em detalhes as ações da Petrobras no setor:

A Petrobras tem investido no aumento da oferta de combustíveis menos intensivos em carbono, como o gás natural e fontes de energia renovável, com destaque para os biocombustíveis. No Plano de Negócios 2009-2013 (atualmente em revisão), está previsto um investimento de US$ 2,8 bilhões em biocombustíveis. Desse total, US$ 2,4 bilhões serão destinados à produção de biodiesel e etanol, enquanto US$ 400 milhões serão voltados para infraestrutura, como construção de alcooldutos. Os recursos representam um aumento de 87% em relação ao plano anterior. Entre os projetos que visam o desenvolvimento dos biocombustíveis, destaca-se ampliação da produção de biodiesel e etanol e a implantação de alcooldutos. O objetivo é chegar a 2013 produzindo 25% do biodiesel e 10% do etanol da demanda nacional.

A Petrobras Biocombustível opera hoje três usinas de biodiesel – Candeias (BA), Quixadá (CE) e Montes Claros (MG) – implementando amplo programa de suprimento agrícola no semiárido brasileiro. As unidades possuem o “Selo Combustível Social”. Significa que 30% do suprimento de oleaginosas são oriundas da agricultura familiar, seguindo as diretrizes do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel, do Governo Federal. A empresa tem, hoje, 55 mil agricultores familiares contratados no Nordeste e em Minas Gerais.
Em abril deste ano, a Petrobras firmou uma parceria estratégica para investir na Açúcar Guarani S.A. (Guarani), subsidiária do grupo Tereos, com o objetivo de acelerar seu crescimento na indústria brasileira de etanol, açúcar e bioenergia. Os investimentos terão como foco o desenvolvimento de uma nova geração de biocombustíveis e a cogeração de energia.

Pré-sal

Não há estudos conclusivos sobre concentração de dióxido de carbono (CO2) nos poços do pré-sal. Mesmo assim, a Petrobras, de forma proativa, compromete-se a não liberar para a atmosfera o CO2 associado ao gás natural produzido na camada pré-sal. É importante destacar que o petróleo é de boa qualidade, considerado um petróleo leve. Por isso, o processo de refino consumirá menos energia e, consequentemente, emitirá menos CO2 quando comparado ao processamento de petróleos mais pesados.

Em 2005, a empresa incorporou em suas estratégias a mitigação das mudanças climáticas, quando estabeleceu objetivos voluntários relacionados a emissões de gases de efeito estufa. No período entre 2006 e 2009, a Petrobras evitou a emissão de aproximadamente 6 milhões de toneladas de CO2 equivalente em suas operações.

Em seu Centro de Pesquisas (Cenpes), a Petrobras desenvolve o Pro-clima – Programa Tecnológico de Mudanças Climáticas, criado em 2007 e, o Pro-CO2 – Programa Tecnológico de Gerenciamento do CO2, criado em 2009 especificamente para o pré-sal. Esses programas tecnológicos fazem parte do Projeto Estratégico Mudança Climática da Petrobras, cujo objetivo é minimizar a intensidade de emissão de gases de efeito estufa nos seus processos e produtos, aumentar a eficiência energética e investir em novas tecnologias nessa área. O objetivo do projeto é contribuir para a sustentabilidade do negócio e para a mitigação da mudança do clima. Já o Pró-Bio tem o objetivo de prover tecnologias que assegurem a liderança mundial da Petrobras na produção de biocombustíveis em 2020.

A questão do CO2 também é tema das Redes Temáticas, uma iniciativa de cooperação técnica e apoio financeiro da Petrobras a entidades de ciência e tecnologia em todo o Brasil. Em 2008, foi criada a Rede Temática de Seqüestro de Carbono e Mudanças Climáticas, formada por 12 instituições de pesquisa. Entre 2006 e 2009, a Companhia investiu cerca de US$ 30 milhões em projetos de sequestro de carbono e mudanças climáticas.

Qualidade dos combustíveis

A Petrobras tem cumprido suas metas em relação à qualidade dos combustíveis A Companhia iniciou, em janeiro de 2009, o fornecimento do diesel S-50 às frotas cativas de ônibus urbanos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, conforme acordo com o Ministério Público Federal, Governo do Estado de São Paulo, Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), ANP, Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), empresas fabricantes de veículos e fabricantes de motores.

Em maio de 2009, as regiões metropolitanas de Fortaleza (CE), Recife (PE) e Belém (PA) iniciaram a comercialização do combustível para todos os veículos a diesel. Já os ônibus urbanos de Curitiba têm sido abastecidos desde agosto de 2009.

Desde janeiro de 2010, a Região Metropolitana de São Paulo, Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA) recebem o S-50.

Em janeiro de 2011, será feita a substituição de todo diesel S-500 por S-50 para as frotas de ônibus da Baixada Santista, Campinas, São José dos Campos e o restante do Estado do Rio de Janeiro. A partir de 2013, a empresa fornecerá o diesel S-10 (com menor teor de enxofre do que o S-50), em uma antecipação em relação à programação original, que previa os níveis de emissões associados ao S-10 somente a partir de 2016. Para atender às novas especificações de gasolina e diesel, a Petrobras investirá US$ 13,2 bilhões até 2013.

Segurança, Meio Ambiente e Saúde

A Petrobras sempre desenvolveu iniciativas de prevenção de acidentes e, nos últimos dez anos, intensificou as ações e criou novos programas de prevenção e contingência.

Com isso, a taxa de frequência de acidentados fatais na Petrobras caiu de 13,8 em 2000 para 0,81 em 2009, ou seja, reduziu 94%. No mesmo período, a taxa de frequência de acidentados com afastamento também caiu de 3,6 para 0,49, representando uma redução de 86%. As taxas referem-se à quantidade de acidentados fatais para cada 100 milhões de horas de exposição a risco e de acidentados com afastamento para cada milhão de horas.

Um exemplo dessas iniciativas é o Programa de Excelência em Gestão Ambiental e Segurança Operacional (Pegaso), um dos maiores do gênero da indústria mundial de petróleo e gás.

Através desse programa, a Petrobras investiu cerca de R$ 10 bilhões em seis anos. A Companhia reviu e aprimorou os sistemas de gestão, reforçou a estrutura de contingência e implementou diversos programas visando à redução de emissões, resíduos e efluentes em todas as unidades da empresa.

Responsabilidade socioambiental

A Petrobras é a maior patrocinadora de programas sociais, ambientais, culturais e esportivos do Brasil.

Programa Petrobras Ambiental – O Programa apoia projetos de conservação e educação ambiental em todo o país relacionados aos temas Água e Clima. Em 2008, passou a incluir também as questões relativas à fixação de carbono e emissões evitadas, com base em recuperação de áreas degradadas e conservação de florestas e áreas naturais. Desde que foi criado, em 2003, o Petrobras Ambiental já alcançou dezenas de bacias e ecossistemas em 5 biomas brasileiros: Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Pantanal. Suas ações já envolveram diretamente 3,6 milhões de pessoas, além de mais de 820 parcerias estabelecidas, 240 publicações, 4.354 cursos e palestras e 5 mil espécies nativas foram estudadas. Em 2009, o Programa investiu R$ 93,6 milhões e, no período entre 2008 e 2012, prevê investir R$ 500 milhões em projetos de todo o país.

No total foram investidos pelo Sistema Petrobras R$ 1,97 bilhão em ações e projetos relacionados ao meio ambiente, incluindo gastos com processos operacionais e apoio a projetos ambientais.

Programa Desenvolvimento & Cidadania Petrobras – Através do Programa Desenvolvimento & Cidadania, a Petrobras investe em projetos sociais de todo o país, voltados para geração de renda e oportunidade de trabalho, educação para a qualificação profissional e garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes. No período entre 2008 e 2012, a previsão é investir R$ 1,3 bilhão, que deverão permitir a realização de projetos que atendem direta e indiretamente a 18 milhões de pessoas em todos os estados do país. Em 2009, o Programa investiu R$ 173,6 milhões em mais de 1,8 mil projetos.

Programa Petrobras Cultural – Criado em 2003, o Programa Petrobras Cultural investe em projetos culturais em três linhas de atuação: “Produção e Difusão”, “Preservação e Memória” e “Formação”. Em 2009, investiu R$ 154,6 milhões em projetos culturais de todas as regiões do país. Considerado o maior programa de patrocínio cultural do Brasil, o Petrobras Cultural já contemplou mais de mil projetos desde sua primeira edição.

Patrocínio esportivo – A Petrobras tem uma forte e antiga ligação com o esporte que busca incentivar e estimular toda a sociedade, como forma de renovação do espírito de equipe para o povo brasileiro. O objetivo maior da Companhia ao patrocinar o Esporte é contribuir para o crescimento do setor e para a redução de desigualdades sociais por meio da prática esportiva. Atualmente, os contratos de patrocínio da Petrobras são divididos em dois Programas distintos: o Programa Petrobras Esporte de Rendimento, que engloba Surfe, Tênis, Handebol e Futebol, e o Programa Petrobras Esporte Motor, que engloba Rally, Kart, Fórmula Truck, Fórmula 3 Sulamericana, Motovelocidade e Baja.

Programa Petrobras Agenda 21 – O objetivo do Programa é apoiar o desenvolvimento sustentável em comunidades de baixo índice de inclusão social, localizadas em áreas próximas às unidades da Petrobras. Através de um diálogo permanente, estão sendo construídos planos de ação para o desenvolvimento sustentável local dessas comunidades. O Programa está presente em 14 estados, incluindo o Distrito Federal, 140 municípios e 352 comunidades. O Agenda 21 já mapeou mais de 260 mil domicílios e capacitou 4.735 jovens como agentes comunitários. Suas ações envolveram indiretamente 1 milhão de pessoas.

Relacionamento com fornecedores – A Companhia avalia sua carteira de fornecedores para identificar a evolução dos processos de gestão e estimulá-los ao compromisso com melhorias de qualidade, segurança, meio ambiente, saúde e responsabilidade social. Os resultados alimentam o sistema de informações corporativo do Portal de Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras.

Os contratos de prestação de serviços da Petrobras possuem cláusulas sobre o repúdio ao trabalho forçado e o impedimento ao uso de mão de obra escrava, infantil, ou em condições degradantes. Além disso, a companhia mantém a orientação da inclusão de cláusulas relativas a direitos humanos em todos os contratos firmados com empresas e fornecedores críticos.

Qualificação – O Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) identificou a necessidade de qualificar 207 mil trabalhadores, para a realização dos empreendimentos previstos para o setor de petróleo e gás natural, no período de 2009 a 2013. Foram mapeadas 185 categorias profissionais. Até o segundo semestre de 2010, o Prominp terá qualificado 78 mil pessoas, em 15 estados do país.

Reconhecimento – A Petrobras participa, desde 2006, do Índice Dow Jones de Sustentabilidade, carteira da Bolsa de Ações de Nova York composta por empresas com melhor desempenho em aspectos econômicos, sociais e ambientais. A consultoria Management & Excellence, que realiza pesquisa sobre transparência e éticas nas empresas, considerou a Petrobras uma das empresas de petróleo mais sustentáveis do mundo, no ano passado. No Brasil, a Petrobras foi identificada como a companhia mais socialmente responsável do país pela pesquisa do Ibope realizada em 2009. Mais recentemente, em janeiro de 2010, a Petrobras foi relacionada como uma das 100 empresas mais sustentáveis do mundo no ranking Global 100 da revista canadense Corporate Knights, especializada em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.

 

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes