Convocação de Assembléia Geral Extraordinária

21 de maio de 2010 / 13:20 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O Conselho de Administração (CA) da Petrobras, em reunião realizada com a presença do Conselho Fiscal (CF), aprovou na quinta-feira (20/5)  a convocação de Assembléia Geral Extraordinária (AGE), a ser realizada no dia 22 de junho de 2010, no auditório do Edifício-Sede da Companhia no Rio de Janeiro, a fim de deliberar sobre alteração em seu Estatuto Social. A proposta trata, especificamente, da alteração dos artigos que definem o capital autorizado da Companhia, limitando o valor total e a quantidade máxima de ações a serem emitidas, delegando ao Conselho de Administração (CA) a aprovação do aumento de capital.

Clique aqui  para visualizar o Edital de Convocação e informações adicionais para a Assembléia.

Neste contexto, através da proposta contida no Edital de Convocação, a Companhia está solicitando aos seus acionistas a aprovação para alterar os limites de capital autorizado, conforme tabela que pode ser visualizada aqui .

É importante ressaltar que os limites submetidos à AGE não representam o valor da oferta pública de ações a ser realizada, pois este depende ainda da:

(i) Definição da necessidade de recursos para financiamento do Plano de Negócios da Companhia (PN) para o período 2010-2014. Esse PN está em fase final de elaboração, com expectativa de ser anunciado na primeira quinzena de junho, com valores de investimento entre US$ 200 e US$ 220 bilhões;
(ii) Definição do montante a ser pago à União Federal pela cessão onerosa dos direitos de exploração e produção de até 5 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), caso o projeto de lei referente a Capitalização e Cessão Onerosa seja aprovado pelo Congresso Nacional; e
(iii) Manutenção de estrutura de capital equilibrada, com nível de alavancagem líquida abaixo de 35% e dívida líquida menor que 2,5 vezes o EBITDA, tendo em vista os itens (i) e (ii) acima.

Os limites propostos para o capital autorizado contemplam ainda a possibilidade de emissão adicional para atender a eventuais demandas decorrentes de um mercado aquecido (hot issue) e da necessidade de sobrealocação de ações no contexto da oferta para inclusive viabilizar a estabilização do preço das ações no contexto da oferta após o início da negociação das novas ações (greenshoe), sendo esses mecanismos usualmente utilizados nesse tipo de operação.

A Petrobras informa ainda que a delegação ao CA para aprovar a emissão de ações preferenciais e ordinárias dentro do limite de capital autorizado é limitada ao período de 1 (hum) ano a contar da data da deliberação da AGE e contempla a utilização da estrutura de alocação prioritária, nos termos da Instrução CVM nº 400/03, conforme alterada, e/ou a concessão do direito de preferência, no termos da Lei nº 6.404/76, conforme alterada.

A Companhia divulgará, em breve, ao mercado um Pedido Público de Procuração, conforme Instrução CVM 481, e informará aos seus acionistas que receberá procurações eletrônicas.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes