Theatro Municipal do Rio de Janeiro realiza evento oficial de reinauguração

28 de maio de 2010 / 12:21 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O Theatro Municipal reabriu oficialmente após um ano e meio fechado para reforma, com um evento, nesta quinta-feira (27/05), que contou com a presença do presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. A Petrobras foi uma das principais patrocinadoras da restauração, que recuperou a fachada original e o interior do Theatro centenário e ainda modernizou os equipamentos do palco.
O presidente da República agradeceu o apoio dos patrocinadores por devolver ao Rio de Janeiro a casa reformada. “Vocês restauraram não apenas um teatro, mas um patrimônio cultural que não tem preço. O Theatro Municipal voltou a ser uma casa extraordinariamente bonita igual a qualquer outra do mundo”, destacou o presidente.
A Theatro passou por 850 dias de obra, parte do tempo em funcionamento. Trabalharam na obra 915 profissionais, sendo 350 restauradores e 565 profissionais de construção civil. Foram usados 758m2 de mármore e 219 mil folhas de ouro para devolver ao Theatro o brilho original de 1909, data de sua inauguração.
A atriz Marieta Severo foi a mestre de cerimônia do evento e conduziu a apresentação de grandes nomes da música clássica e do balé nacional. O coro e a orquestra sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro abriram o evento com o Hino Nacional, sob a regência do Maestro Roberto Minczuc.
Em seguida, a orquestra apresentou a ópera Lo Shiavo de Carlos Gomes, com a regência do Maestro Silvio Viegas. O pianista Nelson Freire tocou A Lenda do Caboclo, de Heitor Villa Lobos, e Barcarolla op. 60, de Frédéric Chopin. Também foi apresentado o Balé Something Special, com coreografia de Dalal Achcar e música Ernesto Nazareth, Ana Botafogo e Andrea Volpintesta como solistas e Arthur Moreira Lima ao piano. A orquestra sinfônica e o coro do Theatro Municipal encerraram o evento com seleções da ópera o trovador, de Giuseppe Verdi, sob regência do Maestro Roberto Minczuk.
Do lado de fora do Theatro, a Petrobras montou três caixas de música gigantes na calçada, com estátuas vivas representando uma bailarina do Lago dos Cisnes, uma cortesã da ópera La Traviatta e um nobre da ópera Don Giovanni. Foi uma homenagem da Petrobras ao Theatro Municipal. A Companhia também colocou três duplas de atores vestidos de bailarina e maestro distribuindo cartões com ilustração do Municipal aos convidados.
Através do Programa Petrobras Cultura, a Companhia investe em projetos de preservação e memória em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, a Petrobras já patrocinou a restauração do Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, do Arquivo Nacional, da Rádio Nacional, do Mosteiro de São Bento e do Outeiro da Glória.O Theatro Municipal reabriu oficialmente após um ano e meio fechado para reforma, com um evento, nesta quinta-feira (27/05), que contou com a presença do presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. A Petrobras foi uma das principais patrocinadoras da restauração, que recuperou a fachada original e o interior do Theatro centenário e ainda modernizou os equipamentos do palco.

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro reabriu oficialmente após um ano e meio fechado para reforma, com um evento, na quinta-feira (27/05), que contou com a presença do presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. A Petrobras foi uma das principais patrocinadoras da restauração, que recuperou a fachada original, o interior do Theatro e ainda modernizou os equipamentos do palco.

O presidente da República agradeceu o apoio dos patrocinadores por devolver ao Rio de Janeiro a casa reformada. “Vocês restauraram não apenas um teatro, mas um patrimônio cultural que não tem preço. O Theatro Municipal voltou a ser uma casa extraordinariamente bonita igual a qualquer outra do mundo”, destacou. 

A Theatro passou por 850 dias de obra, parte do tempo em funcionamento. Trabalharam na obra 915 profissionais, sendo 350 restauradores e 565 profissionais de construção civil. Foram usados 758m2 de mármore e 219 mil folhas de ouro para devolver ao Theatro o brilho original de 1909, data de sua inauguração.

A atriz Marieta Severo foi a mestre de cerimônia do evento e conduziu a apresentação de grandes nomes da música clássica e do balé nacional. O coro e a orquestra sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro abriram o evento com o Hino Nacional, sob a regência do Maestro Roberto Minczuc.

Em seguida, a orquestra apresentou a ópera Lo Shiavo de Carlos Gomes, com a regência do Maestro Silvio Viegas. O pianista Nelson Freire tocou A Lenda do Caboclo, de Heitor Villa Lobos, e Barcarolla op. 60, de Frédéric Chopin. Também foi apresentado o Balé Something Special, com coreografia de Dalal Achcar e música Ernesto Nazareth, Ana Botafogo e Andrea Volpintesta como solistas e Arthur Moreira Lima ao piano. A orquestra sinfônica e o coro do Theatro Municipal encerraram o evento com seleções da ópera o trovador, de Giuseppe Verdi, sob regência do Maestro Roberto Minczuk.

Do lado de fora do Theatro, a Petrobras montou três caixas de música gigantes na calçada, com estátuas vivas representando uma bailarina do Lago dos Cisnes, uma cortesã da ópera La Traviatta e um nobre da ópera Don Giovanni. Foi uma homenagem da Petrobras ao Theatro Municipal. A Companhia também colocou três duplas de atores vestidos de bailarina e maestro distribuindo cartões com ilustração do Municipal aos convidados.

Através do Programa Petrobras Cultura, a Companhia investe em projetos de preservação e memória em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, a Petrobras já patrocinou a restauração do Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, do Arquivo Nacional, da Rádio Nacional, do Mosteiro de São Bento e do Outeiro da Glória.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes