Investimentos em refino: carta ao jornal O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2010 / 20:30 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Ao contrário do que afirma o editorial “A Petrobras política” , publicado em 23/06/2010, a Petrobras esclarece que o implemento dos investimentos em refino estão perfeitamente sintonizados com a estratégia corporativa desde 1999, de atuar de forma integrada. O aumento da capacidade de refino busca acompanhar o crescimento da produção de petróleo no país (2,9 milhões de barris de petróleo/dia em 2014) e o aumento da demanda do mercado interno. Com a entrada em operação das refinarias de Pernambuco, Maranhão e o Comperj (RJ), a carga processada em 2014 será de 2,3 milhões bpd. Em 2020, já com a 2ª fase da Refinaria do Maranhão e Comperj e da Refinaria do Ceará, a capacidade atingirá 3,2 milhões bpd. Paralelamente, está em curso a modernização das refinarias existentes e investimentos na melhoria da qualidade dos combustíveis para atender rigorosos padrões ambientais. Esses investimentos permitirão exportar derivados com maior valor agregado que o petróleo. A Petrobras ressalta que o Nordeste é a região que oferece menor distância para exportação para Europa e EUA.

Comentários fechados.