Ministro do Meio Ambiente do Japão visita usina de etanol

19 de julho de 2010 / 12:25 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

O ministro de Meio Ambiente do Japão, Sakihito Ozawa, visitou, neste domingo (18/7), em companhia de executivos da Petrobras Biocombustível e da Guarani, a Usina Vertente, localizada em Guaraci (SP).

A comitiva participou de uma reunião com o diretor de Etanol da Petrobras Biocombustível, Ricardo Castello Branco, e com o diretor presidente da Guarani, Jacyr Costa. Em seguida, a comitiva visitou as instalações da usina Vertente, que tem foco no etanol, e apresenta elevados padrões de produção industrial e alto percentual de mecanização da colheita, além de outros fatores que contribuem para a produção sustentável de etanol.

O ministro Ozawa está liderando a questão da redução da emissão de gases de efeito estufa no Japão e veio ao Brasil conhecer as práticas sustentáveis de produção de etanol. O Japão espera até 2020 reduzir 25% de emissão de CO2, com base nos níveis de 1990. “O governo japonês tem a intenção de promover o uso do etanol. Temos o projeto E3 e pretendemos ampliar para E10, ou seja, de 3% para 10% de etanol adicionado ao combustível”, informou.

O diretor de Etanol, Ricardo Castello Branco, destacou as práticas sustentáveis da produção de etanol da unidade, em Guaraci, como fatores fundamentais para viabilizar a abertura de novos mercados e ampliar o uso desse combustível verde.

Jacyr Costa, diretor presidente da Guarani declarou, “o etanol é um combustível extremamente competitivo tanto no mercado interno quanto no externo”.

A Petrobras Biocombustível tem hoje participação em capacidade de moagem superior a 24 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano, com capacidade para produzir mais de 900 milhões de litros de etanol/ano. Além da Guarani, com unidades em São Paulo e Moçambique, tem parcerias com o Grupo São Martinho, em Goiás, e a Total Agroindústria Canavieira, em Minas Gerais.

A Usina Vertente é uma parceria da Guarani com o Grupo Humus, realizada em fevereiro de 2010. A Guarani é um dos atores mais importantes do etanol e da indústria do açúcar brasileiros. O principal negócio da empresa é o processamento de cana-de-açúcar para produzir etanol, energia e açúcar. É a terceira maior processadora de cana-de-açúcar com capacidade de moagem estimada em 21,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2010/11. Guarani possui oito unidades industriais, das quais sete estão localizadas no Brasil, na região noroeste do estado de São Paulo e uma em Moçambique.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes