Projeto Gemini: carta a Claudio Humberto

18 de agosto de 2010 / 21:14 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Com relação à nota Sem resposta (publicada em 16/8), a Petrobras esclarece que o projeto Gemini foi estabelecido para produção, logística e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) em áreas não supridas por gasodutos.

A iniciativa, implementada em agosto de 2006, faz parte do processo de flexibilização da oferta de gás natural no Brasil e é executada por consórcio formado pela Petrobras, White Martins e GNL Gemini Comercialização e Logística de Gás Ltda. O consórcio foi aprovado por todas as autoridades competentes, como ANP, CADE, TCU e órgãos ambientais. Ao contrário do noticiado, a GNL Gemini não é uma empresa americana, e sim uma sociedade constituída entre a White Martins e a Gaspetro.

A Petrobras ressalta que os critérios para implementação do projeto foram técnicos. O modelo de transporte de gás natural em estado líquido permite o abastecimento da indústria, do setor automotivo e do comércio em áreas onde não há fornecimento de gás natural por concessionárias estaduais. Pioneiro no Brasil, o projeto representa uma nova modalidade de transporte para viabilizar a interiorização do gás natural, contemplando a cidade de Brasília e os Estados de Goiás, Minas Gerais, Paraná e São Paulo. Além disso, permite a expansão de um combustível menos poluente na matriz energética brasileira.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes