Nível de endividamento da Petrobras

20 de agosto de 2010 / 13:49 Esclarecimentos Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

 A Petrobras mantém seus indicadores financeiros dentro do nível ótimo de endividamento. O intervalo de 25% a 35% para a alavancagem (relação entre o endividamento líquido e a capitalização líquida) foi estipulado pelo seu Conselho de Administração como parâmetro interno e não representa imposição de órgãos externos. O valor atual de 34%, portanto, encontra-se compatível com a meta estipulada.

Ao longo dos últimos anos a Petrobras tem apresentado resultados positivos e boa saúde financeira, como o lucro de R$ 16 bilhões no primeiro semestre de 2010. Esse desempenho teve como consequência o reconhecimento por parte das agências de classificação de risco, que conferiram grau de investimento à Companhia a partir do ano de 2005.

Mesmo que a empresa ultrapassasse a barreira dos 35%, não haveria redução de investimentos ou adiamento de projetos. A Petrobras já apresentou níveis de endividamento inferiores a 25%, com avaliações abaixo do grau de investimento por parte das agências classificadoras em anos anteriores. A taxa de alavancagem atual encontra-se em faixa confortável e não deve ser avaliada isoladamente.

A operação de capitalização prevista para o mês de setembro próximo possibilitará a melhoria da estrutura de capital criando melhores condições para à Companhia pôr em prática o seu Plano de Negócios com investimentos previstos de US$ 224 bilhões nos próximos cinco anos.

Sobre o assunto, leia também a matéria  Petrobras descarta adiar projetos , publicada pelo Valor Econômico nesta quarta-feira (18/8).

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes