Petrobras e Unesp inauguram Centro de Pesquisas

23 de novembro de 2010 / 14:41 Tecnologia e Inovação Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

A Petrobras e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) inauguraram nesta terça-feira (23/11) no campus de Rio Claro (SP) o edifício do UNESPetro, um Centro de Geociências aplicadas ao Petróleo. A cerimônia contou com a presença do diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, e do gerente executivo do Cenpes, Carlos Tadeu da Costa Fraga, além de membros da universidade e figuras políticas da cidade.

Com 2.000 m2 de área útil, o novo Centro recebeu investimentos de R$ 10,5 milhões em infraestrutura, que incluem a construção do prédio, a aquisição de modernos equipamentos laboratoriais e mobiliário. Deste montante, cerca de R$ 9 milhões foram investidos pela Petrobras e R$ 1,5 milhões pela UNESP.

O Complexo UNESPetro foi concebido para associar um completo Centro de Pesquisas em Geologia Sedimentar aplicada ao Petróleo a um moderno Centro de Educação e Treinamento, ambos direcionados prioritariamente para a geração de conhecimento e o desenvolvimento de competências em rochas carbonáticas, predominante nos reservatórios de óleo e gás da área do pré-sal.

“O que determinou o investimento nesta parceria foi a decisão da Petrobras em concentrar no Brasil o desenvolvimento do conhecimento sobre o pré-sal, aliado à excelência da Unesp e seu núcleo de geocientistas dedicados ao estudo de rochas carbonáticas”, afirmou o diretor de exploração e petróleo da Petrobras, Guilherme Estrella, que recebeu homenagem do reitor da universidade, Herman Voorwald, durante a cerimônia.

A inauguração do prédio do UNESPetro é uma das principais iniciativas para o desenvolvimento do Sistema de Capacitação, Ciência e Tecnologia em Carbonatos (SCTC), parte integrante da estratégia de Redes Temáticas da Petrobras. Este sistema é fruto de um acordo firmado em fevereiro de 2010 entre a Petrobras e UENF, UFF, UFRJ, Unesp e Unicamp, visando avanços no conhecimento das rochas carbonáticas, que, embora alojem grande percentual do petróleo mundial, contavam com pouca presença no Brasil.

Com a criação do SCTC, a empresa busca expandir a pesquisa geológica básica, na avaliação da produtividade dos poços e no fluxo de produção de petróleo e gás do pré-sal. “A Unesp detém em seus quadros uma ‘expertise’ em sistemas sedimentares. Por meio da parceria com esta universidade e demais instituições, assim como com a criação deste Complexo, pretendemos que o Brasil seja uma referência no conhecimento em carbonatos”, ressalta o gerente executivo do Cenpes, Carlos Tadeu da Costa Fraga.

Redes Temáticas

O modelo das Redes Temáticas foi criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje já há 50 redes operando em parceria com 110 universidades e instituições de pesquisas de todo o Brasil. Nas redes, as instituições desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para o negócio da Petrobras e para a indústria brasileira de energia. A Petrobras investiu nos últimos quatro anos cerca de R$ 450 milhões anuais, em média, possibilitando às instituições conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes