Novo espetáculo da Cia. de Dança Deborah Colker encanta Curitiba

10 de abril de 2011 / 09:24 Meio Ambiente e Sociedade Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

Uma das atrações mais aguardadas do Festival de Teatro de Curitiba, Tatyana, novo trabalho da Cia. de Dança Deborah Colker, teve sua pré-estreia no último sábado (09/04) com o Teatro Guaíra lotado, aplausos de pé, efeitos de iluminação e novidades no estilo. O espetáculo é uma versão dançada do romance Evguêni Oniéguin, escrito no século 19 pelo escritor russo Aleksandr Púchkin.

O clássico da literatura é apenas o ponto de partida para o que a diretora, coreógrafa e bailarina Deborah Colker chamou de “mergulho na alma humana”, um traço também presente em Nó (2005), quando Deborah mostrou como o desejo pode ser libertador ou aprisionador e em Cruel (2008), ao traduzir na relação dos bailarinos com objetos e com um espaço carregado de sentido, um olhar cruel sobre a vida.

“No romance, é possível perceber várias condições da alma colocadas pelo autor: a questão do amor, das escolhas, dos valores, das trajetórias e do que deixamos para trás quando andamos para frente”, resume a diretora. “Quando penso em Tatyana, o que me vem à cabeça é amadurecimento e o que eu quero transmitir para o público é a síntese que a dança é capaz de fazer num único movimento em que estão contidos sentimentos e pensamentos. Quero transmitir a emoção dos personagens, da dança, da música”.

E para contar essa história sem falar uma só palavra, os bailarinos trabalharam muito. Além das habituais oito horas diárias de ensaio, o elenco leu, interpretou e interagiu com a obra e suas versões, diariamente.

No palco, eles foram divididos em grupos que representam os personagens da história: Tatyana (mais densa e séria), Oniéguin (jovem, aristocrata e sedutor), Olga (frívola e espevitada) e Lenski (marido de Olga). Púchkin, o autor do livro, também participa e é interpretado pela própria Deborah, que reveza suas aparições com outro bailarino. “O mais difícil foi dividir um personagem por quatro. Cada bailarino tem uma qualidade: um é mais leve, um é mais sedutor, o outro é mais forte, mais entediado… Isso é muito rico para o movimento. Ter uma coreografia igual e dançar de quatro maneiras diferentes é um desafio”, conta Jacqueline Motta, assistente coreográfica da companhia.

O espetáculo é construído a partir de personagens com características bastante diferentes e é dividido em dois atos, sendo o último mais próximo da técnica do balé clássico, com todas as moças nas pontas, embora a movimentação tenha linguagem contemporânea. No primeiro ato, Oniéguin conhece e encanta Tatyana e Olga, causando ciúme em Lenski, o que termina em duelo e morte. O segundo mostra o reencontro de Oniéguin e Tatyana, anos depois de ela declarar seu amor e ser rejeitada por ele. Dessa vez, é ele que se apaixona por ela, mas, amadurecida, Tatyana o repudia.

Rodrigo Werneck, o mais antigo da Companhia, com 13 anos de casa, e um dos três bailarinos que interpreta Lenski, diz que dar vida ao personagem em situações diferentes e fragmentadas é desafiador. “Não passamos por todas as situações. Cada um representa o Lenski num dado momento. É como se fôssemos sombras, energias desse personagem. Por isso é difícil sair de cena e retornar com a carga dramática que esse espetáculo requer. Fora do palco, tenho que observar os outros bailarinos como se fossem eu mesmo”. A Cia. de Dança Deborah Colker também apresenta Tatyana neste domingo (10/04), no Teatro Guaíra, como parte da Mostra Petrobras.

Ações promocionais e de relacionamento

A convite da Companhia, cerca de 50 alunos de Dança da FAP assistiram ao ensaio de Tatyana e foram contemplados com ingressos para a pré-estreia nacional do espetáculo. Nos pontos da Mostra Oficial do Festival foram distribuídos ao longo do evento cerca de 15 mil chocolates e folhetos com a programação da Mostra Petrobras, que reunia os espetáculos de companhias de teatro patrocinadas.

Nos seis postos BR da capital paranaense, a campanha Abasteça e Ganhe distribuiu 250 pares de vouchers para peças do Festival a clientes que abasteceram com 30 litros de gasolina Pódium.

Leia também:

Deborah Colker responde às perguntas dos leitores

Um Shakespeare sertanejo na abertura do Festival de Curitiba

4 respostas para “Novo espetáculo da Cia. de Dança Deborah Colker encanta Curitiba”

  1. flávia disse:

    Olá sou suspeita para falar dessa cia. de dança pois tenho meu irmão q dança… e ele dança é muitoooooooo.
    parabéns a todos.
    bjus

  2. Clébio Saldanha disse:

    Foi fantástico o espetáculo!

  3. Vanessa disse:

    Espetáculo da Débora é perfeito eu já fui em 1, muito bom.

  4. Aval disse:

    Esperando ansiosamente no RJ… Abs,

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes