Sustentabilidade da eficiência operacional é o foco do Proef UO-Rio

22 de novembro de 2012 / 18:40 Informes Enviar por e-mail Enviar por e-mail Imprimir

A+ A-

A ampliação do Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef) para a Unidade de Operações do Rio de Janeiro (UO-Rio) tem como objetivo garantir a sustentabilidade da eficiência operacional dessas unidades, que têm produção superior a 900 mil barris de petróleo por dia (bpd), representando 47% de toda produção nacional.

A Petrobras destinará US$ 710 milhões para manter o índice de eficiência operacional da UO-Rio, que deverá atingir o patamar de 94% até 2016 – um aumento de 5% em relação à projeção anterior da Companhia no período, sem a implementação das ações do Proef. A estimativa é que a UO-RIO alcance, em 2012, o índice de 91% de eficiência operacional. Em 2010, esse patamar ficou em 96%.

O retorno esperado pode chegar a US$ 2,2 bilhões. “O retorno desse investimento é muito elevado e grandes ganhos já ocorrerão no curto prazo“, afirmou a gerente executiva de Engenharia de Produção da área de Exploração e Produção, Solange da Silva Guedes durante coletiva de imprensa realizada na quarta-feira (21/11), na sede da Petrobras.

Solange Guedes enfatizou que o Proef começou com a Unidade de Operações da Bacia de Campos (UO-BC) com o objetivo de recuperar os patamares históricos de eficiência e agora é expandida para a UO-RIO, que possui sistemas de produção mais novos, diferentes dos sistemas mais antigos dos campos maduros da UO- BC. Assim, as ações para a UO-Rio têm caráter estruturante, como revisão da gestão de manutenção, planejamento de paradas programadas e atualização tecnológica dos sistemas de produção.

O gerente geral da Unidade de Operações do Rio de Janeiro, Eberaldo de Almeida Neto, informou que as paradas programadas para manutenção serão de três em três anos, aproximadamente, para cada unidade estacionária de produção. “Esse padrão se estende a todas as unidades de E&P. Estamos trabalhando para reduzir os dias de parada, tornando-a mais eficaz”. O gerente executivo de Exploração e Produção do Sul-Sudeste, Erardo Gomes Barbosa Filho, explicou que as manutenções são sistemáticas e normais nas atividades da Companhia. “As metas de produção já são estabelecidas considerando esses eventos.”.

Solange Guedes destacou a importância da entrada em operação da P-55 e P-62. “A UO-Rio representa importante geração de receita para a curva de produção dentro do Plano de Negócios e Gestão 2012-2016. Hoje temos 15 unidades de produção instaladas. No curto prazo, teremos mais duas unidades”, disse a gerente executiva. A P-55 começa a operar no final de 2013 e a P-62 no início de 2014, ambas no campo de Roncador, na Bacia de Campos. A entrada em operação dessas unidades irá garantir a manutenção dos níveis atuais de produção.

Participaram da coletiva de imprensa de divulgação do Proef UO-Rio a gerente executiva de Engenharia de Produção da área de Exploração e Produção, Solange da Silva Guedes; a gerente executiva de Serviços da área de Exploração e Produção, Cristina Pinho; o gerente executivo de Exploração e Produção do Sul-Sudeste, Erardo Gomes Barbosa Filho; e o gerente geral da Unidade de Operações do Rio de Janeiro, Eberaldo de Almeida Neto.

Deixe seu comentário

Prezado leitor,

Lembramos que não serão aceitos comentários que tenham conteúdo ou termos ofensivos, nem que sejam desassociados do tema do post. Dúvidas sobre temas diversos devem ser encaminhadas ao Fale Conosco do site.

 caracteres restantes