Destaques Internacionais – 25/01/2010

Repercussão da aquisição da Quattor entre os destaques na imprensa estrangeira 

A Reuters publicou matéria dizendo que a Braskem anunciou a incorporação da Quattor, em uma operação que cria a maior petroquímica das Américas. A empresa fará um aumento de capital de até R$ 5 bilhões, com garantia de aporte de R$ 3,5 bilhões pelos dois principais sócios, Odebrecht e Petrobras. Também pagará pouco mais de R$ 50 milhões pela Unipar Comercial e por fatia na Polibutenos. Além disso, a Braskem assumirá obrigações da Unipar com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), relativos à participação do BNDESPar na Rio Polímeros, avaliada em entre R$ 130 milhões e R$ 170 milhões e sem desembolso imediato. 

http://www.reuters.com/article/idUSSPG00270420100122 

O chinês People’s Daily anuncia, com a data de 23/01, a incorporação da Quattor pela Braskem, com o título “A gigante brasileira do petróleo, Petrobras, adquire a Quattor” — ou seja, destaca a presença da Petrobras na operação. O jornal lembra que a capacidade de produção da Nova Braskem será de 5,5 milhões de toneladas de resina por ano. 

http://english.people.com.cn/90001/90778/90860/6876873.html 

O também chinês Xinhuanews noticia a compra da Quattor. O veículo explica que a nova empresa se tornará a maior petroquímica do continente americano e a 11ª do planeta. 

http://news.xinhuanet.com/english2010/business/2010-01/23/c_13148040.htm 

O Wall Street Journal afirma que a Braskem vai ganhar musculatura necessária para atuar no cenário global após a compra da Quattor por R$ 870 milhões. O negócio permitirá à Braskem competir com outros atores globais, como a Dow Chemical Co. e BASF, disse o presidente da Braskem, Bernardo Gradin. “A motivação para este o negócio é criar uma empresa com alcance mundial”, afirmou Gradin. 

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20100122-709365.html                                                                      

A Bloomberg comenta as cotações e recomenda a compra de algumas ações de empresas latino-americanas, entre elas a Petrobras. 

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aKxaYnbfPvTY

A Petroleum Intelligence Weekly afirma que, no papel, a América Latina está repleta de planos de expansão de suas refinarias. Estão anunciadas a construção de 10 grandes novas unidades de refino de petróleo na região para os próximos anos, além de várias pequenas unidades. 

http://www.energyintel.com/DocumentDetail.asp?Try=Yes&document_id=654976&publication_id=4 

A Bloomberg sai com matéria em que fala sobre o interesse do Emirado do Catar em investir na Petrobras, através de seu fundo soberano. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou inclusive que “O Catar não é o primeiro caso de país que deseja investir na produção de petróleo no Brasil; os Emirados Árabes Unidos também já manifestaram o mesmo interesse. A questão é definirmos como se darão estes investimentos”. Ainda segundo a matéria, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, teve um encontro oficial com enviados do Catar para tratar destes investimentos. 

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aZtWIXKHolVk

O campo de Tupi, na Bacia de Santos, é o oitavo maior campo de exploração de petróleo do mundo, segundo pesquisa da revista Forbes. A revista diz que Tupi é uma descoberta revolucionária para o Brasil. Tupi, de acordo com a publicação, é o primeiro de uma onda de grandes descobertas (incluindo os campos Júpiter e Carioca) que estabeleceram a região brasileira como uma das principais no mundo para extração de petróleo e gás. A lista completa dos maiores campos do planeta e suas expectativas de reservas é a seguinte: 1- Khuzestan (Irã): 100 bilhões de barris; 2- Ghawar (Arábia Saudita): 30 bilhões de barris; 3- Khurais (Arábia Saudita): 27 bilhões de barris; 4- West Qurna (Iraque): 21 bilhões de barris; 5- Rumaila (Iraque): 17 bilhões de barris; 6- Carabobo (Venezuela): 15 bilhões de barris; 7- Majnoon (Iraque): 13 bilhões de barris; 8- Tupi (Brasil): 8 bilhões de barris; 9- Kashagan (Casaquistão): 8 bilhões de barris. 

O Upstreamonline publicou nota dizendo que a Petrobras pode fechar acordo com a fornecedora americana de equipamentos de prospecção de petróleo Ensco, depois desta ter baixado os preços de seus equipamentos. O veículo também comenta que a Petrobras lançou a segunda fase do Programa de Renovação da Frota de Apoio Marítimo (Prorefam). A empresa prevê o afretamento por oito anos de 26 novos navios.