Destaques Internacionais 02/12/2009

Lucro da Petrobras  Distribuidora e capitalização da Petrobras são notícias

A Dow Jones e a BNamericas publicaram matérias dizendo que a ANP autorizou a Petrobras a perfurar o primeiro poço como parte do plano do governo de oferecer à empresa grandes concessões na região do pré-sal. As matérias informam que a ANP descreveu a autorização como “preliminar” e destinada principalmente a obter informações geológicas e de outras naturezas sobre as áreas em águas profundas.

ANP autoriza a Petrobras a perfurar petróleo no pré-sal

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20091201-715052.html

Petrobras e ANP iniciam perfuração de poços para capitalização

http://www.bnamericas.com/news/oilandgas/Petrobras,_ANP_start_drilling_wells_for_capitalization

A BNamericas publicou nota dizendo que o lucro líquido da BR Distribuidora, parte do grupo Petrobras, de janeiro a setembro, foi de US$638 milhões, tendo um aumento de 9,4% em relação ao mesmo período no ano passado.

Lucro líquido da BR Distribuidora de janeiro a setembro aumentou 9,4% para US$638 milhões

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-774427683-1646834804&key=D|139846|S|0|x|774427683

O Channel 4, um dos canais de TV mais importantes da Grã-Bretanha, está transmitindo nesta semana uma série de reportagens especiais sobre o Brasil, transmitidas ao vivo direto do país. Nesta terça-feira a reportagem principal sobre o país era relacionada à energia, petróleo e o impacto das mudanças climáticas no Brasil. A Petrobras é citada na reportagem do principal telejornal da emissora, que informa que uma plataforma da empresa, no coração da bacia de Campos, é capaz de produzir um recorde mundial de 100.000 barris de petróleo por dia.

O dilema da mudança climática e do petróleo no Brasil

http://www.channel4.com/news/articles/science_technology/brazilaposs+oil+and+climate+change+dilemma/3446202

O Financial Times publicou matéria sobre “uma tendência promissora” que emergiu entre governos e empresas nos últimos meses, a emissão de papéis de longa duração. A matéria cita a Petrobras entre as empresas que apostaram na longa duração, fazendo empréstimos a custos baixíssimos e a segurança de prendê-lo em uma dívida que não deve ser paga por muitos anos. A matéria lembra que a Petrobras emitiu seus papéis de 30 anos no mês passado, tendo sido beneficiada pela crescente segurança na economia do país.

Um raro ganha-ganha com a tendência de papéis de duração mais longa

http://www.ft.com/cms/s/0/c7d672c0-deab-11de-adff-00144feab49a.html