Destaques Internacionais 07/12/2009

Pré-sal e ampliação do plano de investimentos entre os destaques desta segunda

A Bloomberg e o site da Upstream noticiaram que a Petrobras tem planos para expandir seu programa de investimentos de US$ 174,4 bilhões para desenvolver os campos de petróleo na chamada região do pré-sal.  A Petrobras vai anunciar o plano no primeiro trimestre, segundo afirmações de presidente da Companhia, José Sergio Gabrielli. Segundo ele, a empresa pode aumentar os investimentos em “todas as áreas”, incluindo a exploração de petróleo, produção e refino, bem como a produção de fertilizantes e projetos de eletricidade. O site Emii também repercutiu a notícia.

Petrobras vai ampliar atual plano de investimentos de US$ 174,4 bilhões

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aVIgZOQ7Aym8

Petrobras fala em maior investimento

http://www.upstreamonline.com/live/article200858.ece

Petrobras vai ampliar programa de investimentos de U$174 bilhões

http://www.emii.com/Articles/2352831/Energy/Energy-Articles/Petrobras-To-Boost-174.4B-Program.aspx

O jornal The Washington Post publicou hoje reportagem destacando a capacidade da Petrobras em se tornar líder mundial no setor após a descoberta do pré-sal. A matéria repercute as declarações do presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, de que o pré-sal vai “mudar o papel do Brasil na geopolítica do petróleo” e mostra os investimentos da empresa na exploração em águas profundas. O Washington Post ressalta que a empresa, que até recentemente era pouco conhecida fora dos círculos do petróleo, terá na próxima década uma das maiores reservas de petróleo do mundo ao lado de grandes exportadores como Catar, Canadá, Cazaquistão e Nigéria.

Petrobras se prepara para a extração de petróleo offshore sólido

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2009/12/06/AR2009120602442.html

A Reuters distribuiu despacho dizendo que o projeto de reforma da lei do petróleo na Nigéria deve facilitar a competição das empresas estrangeiras por contratos de gás e petróleo no maior produtor africano de energia. A matéria informa que a Shell, a Exxon Mobil, a Total e a Chevron criticaram a nova legislação, que cria uma nova estatal com fins lucrativos e tem mais controle sobre os recursos naturais do país. Já a Petrobras acredita que a nova lei não trará problemas para novos investidores, de acordo com Rudy Ferreira, diretor da subsidiária da Petrobras na Nigéria, que disse: “Acho que eles acharão um jeito de tornar as coisas mais atraentes para a gente

Reformas do petróleo na Nigéria podem abrir portas para novas empresas

http://af.reuters.com/article/topNews/idAFJOE5B30G620091204