Destaques Internacionais – 10/8/2010

Mancha de óleo de origem não identificada na Região dos Lagos (RJ) ainda é destaque

Petrobras afirma que não é responsável pela mancha de óleo que apareceu nas praias do Rio de Janeiro no domingo, conforme noticiam a Bloomberg e a DPA International Services. De acordo com as matérias, a estatal está colaborando com autoridades da Marinha nos esforços de limpeza, ainda que na inspeção de suas instalações não tenha encontrado nenhum vazamento. A mancha de óleo atingiu cinco praias e a Petrobras também ajuda a investigar a origem do óleo.

Petrobras afirma não ser responsável por óleo em praias do Rio de Janeiro

Praias do Rio de Janeiro afetadas por mancha de óleo

No jornal Miami Herald , notinha diz que autoridades brasileiras investigam origem de mancha de petróleo em praias do Rio e que a Petrobras afirma que seus campos offshore não são responsáveis. No site da Business Week, nota também informa que a Petrobras diz não ser responsável pela mancha de petróleo.

Em notícia sobre o mercado de ações argentino, o The Wall Street Journal e o OsterDow Jones relatam que a Petrobras Argentina, unidade local da Petrobras, liderou a alta nos índices com crescimento de 4,24%. Segundo as publicações, o anúncio do pagamento de dividendos ainda neste mês animou os investidores.

Ações argentinas se consolidam e inspiram confiança

Ações argentinas fecham em alta e consolidam confiança

Em notícia sobre o mercado indiano de ações, a Reuters relata que a Aban Offshore subiu 0,9% depois de anunciar um contrato de cinco anos com a Petrobras.

Ações indianas fecham em baixa

Na Índia, os sites dos jornais Business Standard e The Hindu Business Line trazem notas sobre contrato fechado com a Petrobras pela empresa Aban Offshore para uso de navio-sonda de perfuração por 5 anos na costa do Brasil.

A companhia de gasodutos argentina Transportadora de Gas del Sur (TGS) anunciou que comprou de volta US$ 6 milhões de suas ações, conforme relata o ADP Latin America News. Segundo o texto, a companhia relatou lucros de US$ 173,750 com a operação, já que comprou as ações a 97,44% de seu valor nominal. A publicação lembra que a TGS tem 55,3% de suas ações controladas pela Compania de Inversiones de Energia (Ciesa) que, por sua vez, é controlada pela Petrobras Argentina.

Argentina TGS compra de volta US$ 6 milhões em ações

A Petrobras comprou seis mil metros cúbicos de biocombustível do produtor Brasil Ecodiesel, segundo informa a ADP Latin America News. O volume foi contratado em leilão organizado pela estatal na sexta-feira. O combustível será processado pela Brasil Ecodiesel em Porto Nacional, Tocantins, e entregue às usinas da Petrobras localizadas em Itaqui (Maranhão) e Candeias (Bahia), até o final de setembro.

Petrobras compra 6.000 metros cúbicos de biocombustível da Brasil Ecodiesel

Segundo a EFE Inglês, dois dos maiores bancos brasileiros estão conversando com o português Banco Espírito Santo (BES) para uma parceria estratégica para operar na África. O Banco do Brasil e o Bradesco, além do BES, querem criar uma parceria, chamada BES África, que consolidaria a atuação também em Angola e Moçambique. A publicação lembra que os dois países estão marcados para importantes investimentos brasileiros, inclusive da Petrobras, e de outros empreendimentos do setor de construção.

Bancos brasileiros querem parceria com portugueses para operar na África

No Latin American Herald Tribune (jornal em inglês editado na Venezuela), matéria sobre a parceria cita que empresas brasileiras, inclusive a Petrobras, têm investido em Angola e em Moçambique.

Segundo o BNAmericas, representantes dos governos do Brasil e do Uruguai se reunirão no dia 11 de agosto, em Montevidéu para analisar iniciativas de infraestrutura, comércio e integração energética com representantes do setor privado de ambos os países. O BNDES, a Petrobras e a construtora brasileiro-uruguaia Saceem são algumas das companhias que participarão do encontro, informa o texto.

Representantes de governo e setor privado analisam iniciativas conjuntas

Conforme notícia da Reuters, a Quetzal Energy anunciou que o poço Canaguay-1 será classificado como potencial poço de petróleo. Esse é o primeiro poço a ser perfurado no programa Canaguaro de exploração da companhia e sua perfuração começou em 3 de junho. De acordo com o veículo, a perfuração foi feita com a plataforma Nabors Rig 119, emprestada pela Petrobras.

Quetzal Energy registra Canaguay-1 como potencial poço de petróleo

No Paraguai, o ABC informa que chegou gás para as distribuidoras Lima Gas, Gastotal, Corona e Petrobras em volume suficiente para atender a alta de demanda nas próximas 2 ou 3 semanas.

No site do francês Le Monde , análise sobre o impacto do derrame da BP no Golfo do México questiona o papel de cada empresa envolvida e avalia o que está acontecendo com o petróleo derramado. Em meio ao artigo, o autor diz estar espantado que não se fale mais do petróleo absorvido por bactérias que se desenvolvem no óleo, questão levantada em um simpósio em Vancouver por Marcio Mello, geofísico brasileiro de alto nível que trabalhou para a grande companhia petroleira brasileira Petrobras.

No jornal mexicano El Universal, artigo de Javier Santiso, professor ESADE Business School, analisa o aumento dos investimentos estrangeiros diretos feitos pelas multinacionais de países emergentes, com ênfase no papel das latinoamericanas. Cita a posição da Petrobras e outras empresas no ranking das 500 maiores do Financial Times.

No jornal El Mundo, da Venezuela, nota sobre as mulheres mais poderosas do continente, segundo ranking da America Economia, diz que a diretora Maria das Graças Foster ocupa a primeira posição, tendo gerado ganhos de 104.933 milhões de dólares para a empresa em 2009.