Destaques Internacionais – 20/10/2010

Início das operações comerciais em Tupi é o destaque desta quarta na imprensa

O CNBC informa que a Petrobras anunciou que deve começar operações comerciais em Tupi em cerca de 10 dias. Citando a Agência Brasil, o veículo acrescenta que a produção deve começar nos dias 27 ou 28 de outubro. Businessweek, AP DataStream e AP Spanish também publicam a informação.

Brasil está prestes a começar operações em Tupi

Brasil prestes a começar operação no campo Tupi

Brasil prestes a começar operação no campo Tupi

Brasil começa exploração de novas reservas de petróleo em 10 dias

Citando reportagem do Valor Econômico, a Bloomberg informa que o governo brasileiro enviou dois projetos de lei ao Congresso Nacional para permitir a Petrobras a elevar seus investimentos em 2010.

Brasil pode autorizar a Petrobras a gastar R$ 86 bilhões, afirma o Valor

Segundo a AP Alert – Transportation, a Teekay anunciou a assinatura de um novo contrato com a Petrobras para o fornecimento de um navio plataforma para os campos de Tiro e Sidon na Bacia de Santos.

Teekay anuncia novo contrato de navio plataforma com a Petrobras

O Upstream e a Reuters informam que a norueguesa Prosafe recebeu carta de intenções da Petrobras para usar a plataforma semissubmersível Safe Concordia para apoio de manutenção e segurança na costa brasileira.

Petrobras assina Safe Concordia

Prosafe SE: carta de intenções da Petrobras para Safe Concordia

No Peru, articulista do jornal Los Andes comenta a recente descoberta, pela Petrobras, de nova reserva de gás natural em Camisea.

Jornal de economia francês La Tribune reproduz, em nota, notícia dada pela Folha de S.Paulo sobre a publicidade  da Petrobras e do Banco do Brasil na Revista do Brasil, ligada à CUT.

No jornal britânico The Times, colunista Matt Ridley comenta ascensão da Apple, que deve superar a Exxon-Mobil e se tornar a maior empresa do mundo em capital de mercado. Ele ressalta, no entanto, que a empresa não deve permanecer no topo da lista por muito tempo por causa da atual dinâmica dos mercados. Cita a Petrobras, juntamente com a PetroChina, China Mobile, Google, Cisco e Vodafone, como “meteoros” que recentemente dispararam nos rankings das maiores.