Destaques Internacionais – 23/11/2010

Plataformas de perfuração em águas profundas são o destaque desta terça-feira

Segundo o Upstream, a Petrobras aprovou a qualificação de todos os sete arrematantes em seu multibilionário leilão para contratar até 28 plataformas de perfuração em águas profundas a serem construídas no Brasil. Já a Bloomberg informa que o diretor Financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, afirmou ao jornal Valor Econômico que a empresa está procurando parceiros para criar uma holding para investir em 28 navios perfuradores.

Propostas de todos os sete arrematantes são aprovadas

Petrobras procura parceiros para navios perfuradores, afirma Barbassa ao Valor

A EFE destaca que o Brasil está reativando o setor e atualmente constrói 82 navios, com planos para outras 150. Segundo Lula, além das demandas da Petrobras por navios, plataformas e sondas de perfuração a grandes profundidades, os estaleiros nacionais se recuperam com encomendas de navios mercantes. Matéria sobre o assunto na China, no site em inglês People´s Daily diz que Lula participou da inauguração do navio Sérgio Buarque de Holanda.

Lula afirma que Brasil construirá 82 navios depois de reativar sua indústria naval

O Financial Times informa que México e Brasil anunciaram neste mês o começo de negociações que podem, no final, levar ao que autoridades governamentais dos dois países chamam de acordos estratégicos de integração econômica. O veículo ressalta que a estatal mexicana do Petróleo gostaria de ter mais acesso ao conhecimento e à tecnologia da Petrobras no que diz respeito a águas profundas, enquanto a Petrobras pode aproveitar-se de determinadas áreas de expertise da Pemex.

Grandes oportunidades de negócios para o México e o Brasil

Jornal Calgary Herald, do Canadá, reproduz notícia da agência Reuters de que a chinesa CNPC deve iniciar em 2011 um projeto de expansão da ordem de 6 bilhões de dólares canadenses na refinaria de Cienfuegos, em Cuba, de acordo com fontes ligadas ao negócio. Cita que a Petrobras é uma das empresas que já têm concessão para a exploração de petróleo na costa cubana e que pretendem expandir o negócio.