Destaques Internacionais

Marco regulatório, divulgação de resultados e parcerias com grupos estrangeiros são os destaques

A Reuters publicou despacho sobre o novo marco regulatório do petróleo. A matéria diz que, segundo informações de um ministro brasileiro, a distribuição de royalties entre os Estados não será alterada, o que facilitaria a passagem das medidas pelo Congresso. A Upstream publicou artigo similar, baseado em despacho da Reuters, e a America Economica também deu nota sobre o assunto.

Lei do petróleo brasileiro alterada para evitar mudanças nas royalties

http://www.reuters.com/article/rbssEnergyNews/idUSN1352535520090813

Esquema de royalties no Brasil continua o mesmo

http://www.upstreamonline.com/live/article185778.ece

Petrobras e o governo brasileiro poderiam trocar ações por terrenos no ano que vem

http://www.americaeconomica.com/portada/noticias/130809/adr.htm

O Eurasia Group, firma de consultoria sediada em Washington (EUA), afirma que o novo marco regulatório em discussão no Brasil tem a intenção de aumentar a participação do Estado na Petrobras, segundo despacho distribuído pela Bloomberg. O despacho afirma que as mudanças no marco regulatório pretendem transformar a Petrobras na única operadora nas áreas do pré-sal.

Brasil quer aumentar sua participação na Petrobras, diz Eurasia Group

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aWdtfYuT.QRA

O site do Wall Street Journal traz artigo sobre a publicação dos resultados da Petrobras deste trimestre que devem ser anunciados hoje no fim do dia. Segundo a matéria, é provável que a Petrobras se junte às petrolíferas que anunciaram uma queda em relação ao anterior nos lucros deste período, mas diz que esse declínio seria menor do que outros concorrentes internacionais.

Lucro líquido da Petrobras no 2º trimestre deve acompanhar a queda global

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20090813-712798.htm

A edição impressa da revista The Economist, que chegou às bancas na Grã-Bretanha ontem à noite, cita a Petrobras em duas matérias sobre o Brasil. Na primeira, em um longo artigo sobre o aumento da influência da China (e, em porção menor, de outros países como a Índia, a Rússia e o Irã) na América Latina. O artigo fala do empréstimo de US$ 10 bilhões concedido pela China à Petrobras em troca de 200 mil barris diários de petróleo, durante 10 anos, originados da área do pré-sal, onde o dinheiro será investido. A petrolífera é também citada em artigo sobre as alianças regionais do Brasil na América do Sul.

O dragão no quintal do fundo

http://www.economist.com/displaystory.cfm?story_id=14209932

Lula e sua turma do barulho

http://www.economist.com/world/americas/displaystory.cfm?story_id=14229460

A BNamericas publicou nota informando que a Petrobras está negociando parcerias com grupos estrangeiros, principalmente da Ásia, para o complexo carioca Comperj. Segundo a nota, espera-se US$8,4 bilhões de investimento para o Comperj, cujo início das operações está previsto para 2012.

Petrobras em negociação com grupos asiáticos para o projeto Comperj

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-712404341-1547184316&key=D|139846|S|0|x|712404341

A Upstream também publicou nota informando que a Petrobras está pronta para começar o processo de licitação para uma linha de embarcações de descarregamento, armazenamento e produção flutuante para a Bacia de Santos. Segundo a nota, 12 empresas já mostraram interesse na licitação e 6 consórcios foram formados.

Casco de Tupi faz propostas na linha de partida

http://www.upstreamonline.com/live/article185776.ece

A Upstream impressa tem ainda uma série de matérias que cita a  Petrobras.

África Ocidental busca pote de ouro no pré-sal

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/features/article185766.ece

Petrobras embarca no privilégio do pré-sal

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/news/article185743.ece

Poços frescos testam fluxo em Iracema

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/news/article185745.ece

Subsea 7 faz contato para fornecimento de linhas de exportação para o P-55

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/news/article185678.ece

Novos campos de oportunidades abertos para participantes experientes

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/features/article185765.ece

Escale todas as montanhas

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/head_to_head/article185659.ece

ANP prorroga prazo de exploração para três blocos

http://www.upstreamonline.com/hardcopy/news/article185744.ece

O jornal venezuelano El Universal menciona a Petrobras em matéria sobre a suposta perda de interesse das petrolíferas no projeto Carabobo. A matéria informa que a Petrobras poderia abandonar o projeto já que estaria mais interessada em participar de explorações no Brasil

Reduzido o número de interessados no projeto Carabobo

http://www.eluniversal.com/2009/08/14/eco_art_se-reduce-numero-de_1524002.shtml

No Equador, o jornal El Universo traz matéria dizendo que os contratos entre governo e petroleiras, inclusive com a Petrobras a vencer a partir do fim de agosto, devem ser prorrogados.

Também no Equador, o jornal Hoy analisa o acordo entre a Petroecuador e a Petrochina. Diz que não é novo, pois houve acordo semelhante com o banco Paribas nos anos 1980.

No site de notícias econômicas da América Latina Americaeconomica.com  matéria diz que a ministra de Energia do México, Georgina Kessel, considera que o preço do barril de petróleo deve ficar acima dos US$ 70 para viabilizar o plano de investimento da Pemex. Diz que a ministra vem ao Brasil neste fim de semana para se reunir com o ministro Edison Lobão e  que a Pemex “precisa se associar com empresas como Petrobras, Exxon Mobil e Chevron para desenvolver seus projetos em águas profundas”.

Americaeconomica traz também nota sobre “rumores” de que a Petrobras e o governo brasileiro devem fazer troca de ações por áreas de exploração.