Destaques Internacionais

Novo modelo regulatório do pré-sal é o principal destaque desta terça-feira

A imprensa internacional deu enorme destaque ao anúncio do novo marco regulatório do petróleo no Brasil. As grandes agências internacionais distribuíram vários despachos durante o dia, atualizando as informações com o comunicado divulgado pela Petrobras antes da cerimônia em Brasília, com o discurso do presidente Lula e, depois, com as reações do governo, de políticos e do mercado. Os grandes jornais mundiais também publicaram reportagens sobre as mudanças nas regras para exploração de petróleo na zona do pré-sal.

A Reuters distribuiu vários despachos com informações relacionadas ao marco regulatório do pré-sal. Na versão consolidada da matéria principal, a agência afirma que o presidente Lula propôs um novo marco regulatório que tem o objetivo de aumentar o controle do Estado na gestão do petróleo, num movimento que “poderá ser decisivo para o desenvolvimento do país nas próximas décadas”. A agência deu grande destaque à proposta de criação de uma nova estatal para gerenciar os novos projetos na área do pré-sal e também para a decisão de se utilizar um sistema de contrato que dá ao governo uma parcela do petróleo extraído na região. A mesma reportagem da Reuters foi publicada no site do New York Times. A Reuters divulgou também, uma matéria com detalhes de cada uma das propostas anunciadas ontem. A matéria da Upstream sobre o assunto foi baseada em despacho da Reuters, porém dá destaque a participação da Petrobras nas explorações do pré-sal.

Brasil se mexe para aumentar controle sobre as novas riquezas do petróleo

http://www.reuters.com/article/OILPRD/idUSN3133403520090831

Brasil se mexe para aumentar controle sobre as novas riquezas do petróleo

http://www.nytimes.com/reuters/2009/08/31/world/international-uk-brazil-oil.html?_r=1&scp=1&sq=petrobras&st=cse

FACTBOX – Brasil propõe mudanças na lei do petróleo para os novos campos

http://www.reuters.com/article/companyNewsAndPR/idUSN3143544720090831

Petrobras deve assumir controle do pré-sal

http://www.upstreamonline.com/live/article186933.ece

A Reuters distribuiu hoje outra matéria com grande repercussão da proposta do novo marco regulatório. Dá destaque aos comentários de especialistas em petróleo, políticos e empresas petrolíferas internacionais

OPINIÃO DE ANALISTA – Proposta do Brasil para petróleo de águas profundas

http://www.reuters.com/article/latestCrisis/idUSN31431320

Já a versão consolidada da matéria principal da Bloomberg dá destaque ao fato de o presidente Lula querer aumentar o controle do Estado sobre as reservas de petróleo e a proposta de transformar a Petrobras na operadora exclusiva das prospecções nestes campos. Além disso, a agência destaca a informação de que a empresa teria uma participação mínima de 30% em todas as joint-ventures para exploração.

Lula aumenta controle do Estado sobre as reservas de petróleo do Brasil

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=aVhcMJMnFC10

O Wall Street Journal publicou reportagem em sua edição impressa desta terça-feira afirmando que, com o novo marco regulatório, o governo vai ter um papel maior na exploração de petróleo no país. A edição americana do jornal afirma que as dificuldades de se extrair petróleo na área do pré-sal vão exigir que o Brasil atraia a colaboração de parceiros.

Brasil exige participação em descobertas de petróleo

http://online.wsj.com/article/SB125174253096373259.html 

A matéria publicada no Financial Times britânico abre dizendo que as reservas do pré-sal foram comparadas por líderes do setor às reservas do Mar do Norte que, nos anos 70, transformaram o setor petrolífero mundial. A matéria diz que embora o anúncio do Presidente Lula tenha respondido questões sobre o papel do Estado na exploração das reservas, adiou a resposta à difícil questão da divisão de rendas pelos estados e municípios brasileiros.

Brasil define regras para a exploração das vastas reservas de petróleo

http://www.ft.com/cms/s/0/2e012c60-9691-11de-84d1-00144feabdc0.html?nclick_check=1

The New York Times diz que o novo marco regulatório do petróleo representa uma guinada nacionalista no país.

Mudanças propostas para beneficiar gigante do petróleo no Brasil

http://www.nytimes.com/2009/09/01/world/americas/01webbrazil.html

A matéria publicada no site da Business Week deu destaque à utilização dos fundos provenientes da exploração em projetos sociais e à expansão do controle da Petrobras sobre as reservas.

A agência de notícias espanhola EFE também publicou despacho sobre o assunto, assim como a agência France Press.

Governo propõe que Petrobras opere em todo o “pré-sal” com um mínimo de 30%

http://www.finanzas.com/noticias/empresas/2009-08-31/195394_gobierno-propone-petrobras-opere-todo.html

Petrobras conservará um mínimo de 30% na nova exploração de petróleo

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hcUpOIS4oOZ5UmB4WglMWgNctapw

Brasil adota exploração compartilhada para reservas petroleiras ultraprofundas

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5iHwhg7p0wAb1Id0mJdnhqxVw6hZA

Brasil reforça o controle do Estado sobre o petróleo de águas profundas

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hNHA-wH4hPS7Nsg9KNyEWQBXIzFA

O Les Temps francês reproduziu reportagem da AFP na edição de hoje.

Brasil quer se fortalecer graças ao petróleo

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-721110180-1562686254&key=D|139846|S|0|x|721110180

A agência italiana Ansa também distribuiu despacho sobre o novo marco regulatório. A nota informa que a nova lei dá um papel central ao Estado e fortalece as atribuições da Petrobras na exploração das reservas do pré-sal. A matéria foi reproduzida, entre outras publicações, pelo jornal paraguaio ABC Color.

Nova lei petrolífera brasileira, com mais poder do Estado

http://www.ansa.it/ansalatina/notizie/rubriche/mercosur/20090831210034938561.html

Lula anuncia criação de nova petrolífera estatal

http://www.abc.com.py/abc/nota/19324-Lula-anuncia-creación-de-nueva-petrolera-estatal/

A matéria da BBC sobre o anúncio do novo marco regulatório lembra que serão necessários grandes investimentos para a exploração no pré-sal e que houve especulações de que as mudanças nas regras limitariam o acesso das empresas estrangeiras ao setor petrolífero brasileiro.

Brasil revela mudanças nas regras do petróleo

http://news.bbc.co.uk/1/hi/business/8230774.stm

O jornal britânico The Guardian dá destaque á promessa de erradicação da pobreza com a renda proveniente do petróleo.

Presidente do Brasil pretende erradicar a pobreza com os bilhões do petróleo

http://www.guardian.co.uk/business/2009/aug/31/brazil-oil-war-on-poverty

O jornal espanhol El País publicou matéria extensa que dá destaque ao fundo social que Lula pretende criar com os lucros do petróleo.

Brasil vê na futura lei de controle do petróleo uma “nova independência”

http://www.elpais.com/articulo/internacional/Brasil/ve/futura/ley/control/crudo/nueva/independencia/elpepuint/20090901elpepiint_8/Tes

A agência de notícias chinesa Xinhua também deu nota com as principais informações sobre a proposta anunciada por Lula, destacando o controle estatal sobre as reservas de petróleo.

Brasil reforça o controle estatal sobre as reservas de águas profundas

http://news.xinhuanet.com/english/2009-09/01/content_11976453.htm

Outra nota da Xinhua deu destaque à informação de que o presidente Lula considerou o anúncio de ontem como “um novo dia da independência” para o país.

Brasil quer mais controle estatal sobre as novas descobertas de petróleo

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-721146250-1562823582&key=D|139846|S|0|x|721146250

A BNamericas deu também  longa matéria sobre o novo marco regulatório.

Petrobras deve operar em todos os blocos do pré-sal

http://www.bnamericas.com/news/oilandgas/Petrobras_to_operate_all_pre-salt_blocks

Já o jornal argentino El Clarin dá destaque à criação da nova estatal, a Petrosal, que se dedicará à administração do negócio, incluindo a participação de capitais estrangeiros e a renda proveniente das explorações do petróleo.

Lula cria uma nova petrolífera para administrar as megajazidas no Atlântico

http://www.clarin.com/diario/2009/08/31/um/m-01989483.htm

O Wall Street Journal on-line publicou matéria informando que o Ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, disse que não haveria leilões dos blocos de produção e exploração do subsal este ano. Segundo Lobão, o governo não decidirá se recomeçará a 8ª rodada de licitações suspensa pela ANP em 2006.

Ministro brasileiro: Nenhuma área do pré-sal nem 8ª rodada de licitações neste ano

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20090831-711390.html

A Reuters em espanhol publicou nota dizendo que o risco de exploração no subsal é muito baixo e que as áreas que estão sendo exploradas no momento não podem se comparar com àquelas do pré-sal.

Lula disse que risco de exploração de petróleo no subsal brasileiro é “muito baixo”

http://lta.reuters.com/article/businessNews/idLTASIE57U21220090831

Outro assunto que movimentou a imprensa internacional foi o movimento dos mercados e o comportamento das ações da Petrobras.

A Bloomberg distribuiu vários despachos durante o dia, acompanhando o movimento no pregão e o preço das ações da Petrobras.

Ações caem no Brasil por causa das commodities e da China; Petrobras sofre queda

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=a8zYgu5wjpb8

Petrobras tem pior queda em sete meses devido ao plano de venda de ações

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=ajqGJBtRY8I0

Lei proposta enche o tanque das ações da Petrobras

http://www.upstreamonline.com/live/article186941.ece

Petrobras perde US$7 bilhões com a fome de Lula por maior participação

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aoxLaBe_2xyI

Ações comuns da Petrobras vão ganhar das preferenciais Preferred, ING’s Conrads Says

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=arG2RGDint18

A Reuters também distribuiu vários despachos sobre o mercado durante o dia de ontem. Na sua versão final, a agência destacou a queda do Ibovespa como um todo, mas deu destaque particular às ações da Petrobras.

Ações despencam no Brasil devido ao plano da Petrobras; Real também cai

http://uk.reuters.com/article/idUKN3144828220090831

Planos de Lula para o petróleo podem afetar os acionistas da Petrobras

http://www.reuters.com/article/GCA-Oil/idUSTRE57U4KE20090831?pageNumber=1&virtualBrandChannel=11604

Alguns analistas do mercado também criticaram a declaração do senador Romero Juca de que a Petrobras deverá receber um aporte de US$ 50 bilhões do governo federal como parte de um plano para desenvolver a exploração na área do pré-sal.

Senador brasileiro cria confusão com a Petrobras

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=avGZlYbuKJqA

Plano de capitalização da Petrobras alcançaria US$ 50 bilhões, diz senador

http://lta.reuters.com/article/businessNews/idLTASIE57U13N20090831

A Reuters divulgou nota sobre o esclarecimento de Almir Barbassa, diretor financeiro da Petrobras. Segundo Barbassa, o plano do governo seria limitar a capitalização da empresa ao equivalente ao valor de cinco bilhões de barris de petróleo. O diretor da Petrobras disse ainda que o plano é capitalizar a empresa o mais rápido possível.

Capitalização da Petrobras será limitada – CFO

http://www.reuters.com/article/OILPRD/idUSSAQ00234220090831

O site CNNMoney também abordou o assunto.

MERCADOS LATINO AMERICANOS: Queda das ações da Petrobras derrubam o índice brasileiro

http://money.cnn.com/news/newsfeeds/articles/djhighlights/200908311413DOWJONESDJONLINE000255.htm

A Reuters distribuiu despacho sobre o reinício em setembro dos testes de longa duração no Campo Tupi, na Bacia de Santos, segundo informou o gerente executivo da Petrobras, José Formigli. Segundo Formigli, acharam melhor trocar todo o equipamento. A nota cita o novo marco regulatório.

Testes no campo Tupi no subsal reiniciarão em setembro: Petrobras

http://lta.reuters.com/article/businessNews/idLTASIE57U25K20090831

A Dow Jones distribuiu uma matéria afirmando que o BG Group elogiou o governo brasileiro por ter decidido manter os contratos já existentes nas áreas do pré-sal. Segundo a nota, a empresa teria dito que “acredita que o desenvolvimento das concessões existentes nas áreas do pré-sal vai continuar como planejado”. Segundo a matéria, a BG teria dito que a estabilidade regulatória geral fez do Brasil um bom lugar para operar, “valorizamos o clima de investimentos que o país desenvolveu.”

BG Group elogia o plano do governo do Brasil de honrar as concessões

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20090831-711529.html

Na França, o jornal La Tribune traz notinha dizendo que a Petrobras terá pelo menos 30% das receitas da exploração.                                                                                                                                                                                                                                              

Já o jornal La Nacion abre matéria dizendo que o presidente Lula “aumenta controle sobre petróleo”, e prevê duros debates no Congresso.

No site da Fox Business, nota para a queda das ações e também para a proposta de que a Petrobras vai deter 30% do capital.

Na versão em espanhol do site Centro de Informações por Internet da China, matéria diz que os projetos encaminhados ao Congresso prevêem o sistema de produção compartilhada para o pré-sal.

Também no mesmo site, matéria cita comunicado da Petrobras dizendo que começará em breve os procedimentos para ampliação de capital da empresa.

No site em espanhol do jornal da China People’s Daily , matéria sobre a proposta de criar a Petrosal.

No site em espanhol da BBC, BBC Mundo, matéria destaca a intenção de combater a pobreza com as riquezas do petróleo e o aumento do controle do Estado.

O jornal da Arábia Saudita Arab News traz matéria da AP sobre o anúncio das mudanças diz que o projeto pretende aumentar o controle do Estado e canaliza recursos para projetos sociais.

No jornal Latin American Herald Tribune, editado em inglês na Venezuela, matéria da EFE destaca o aumento da participação do Estado.

Na Colômbia, o jornal La Republica também destaca o aumento da participação do Estado no controle sobre o petróleo e traz notas sobre os sistemas de outros países, como Noruega, Iraque, Mexico, Venezuela e outros.

Matéria da AP diz que o Brasil, que por muito tempo teve orgulho de sua iniciativa em desenvolver energias renováveis, agora passa por um caso sério de febre do petróleo. Segundo a matéria, ambientalistas estão preocupados com a possibilidade de retrocesso do Brasil na questão ambiental.

Matéria foi publica da em inglês no jornal The Southland Times, da Nova Zelandia, e em espanhol no argentino La Nacion.