Destaques Internacionais

Marco regulatório do pré-sal continua repercutindo na imprensa estrangeira

 

A edição de The Economist desta semana publicou matéria sobre os planos do governo para os fundos provenientes da exploração da área do pré-sal anunciados na última segunda-feira.

Preparando-se para gastar o “bilhete milionário” das águas profundas 

http://www.economist.com/displaystory.cfm?story_id=14370680&fsrc=nwl 

A AFP publicou entrevista exclusiva com o presidente Lula. Segundo a agência francesa, Lula teria dito que o Brasil está a ponto de se tornar uma das grandes potências o século XXI. A AFP afirma que Lula teria dito também que pretende transformar o Brasil em um dos 10 maiores exportadores de petróleo do mundo, e cita a proposta anunciada na última segunda-feira, que coloca as reservas do pré-sal sob controle da Petrobras.

Brasil “Grande potência” fica ao lado do Irã e da Venezuela: Lula

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5i4W9w_9uT8xyABt3UeZYiptc0maQ 

A Reuters, a EFE e a Upstream publicaram despacho dizendo que o presidente Lula recusou os pedidos dos líderes do Congresso para que a proposta do novo marco regulatório não fosse considerada matéria urgente. As agências colocam que a decisão de Lula demonstra sua determinação em aprovar a reforma antes das eleições presidenciais em outubro de 2010.

Lula mantém caráter de urgência para projeto de lei -Senador

http://www.reuters.com/article/rbssIntegratedOilGas/idUSN0310158820090903 

Governo brasileiro mantém caráter de urgência em projeto do petróleo: senador

http://lta.reuters.com/article/businessNews/idLTASIE5821HG20090903 

Lula mantém caráter de urgência parlamentar para o pré-sal apesar de queixas da oposição

http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5i0qF4JsIqJmrCDgclrISGeg5HIEg 

Projeto de lei para o petróleo continua na faixa rápida

http://www.upstreamonline.com/live/article187179.ece 

A agência de notícias chinesa Xinhua tem matéria sobre a declaração de José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, de que as licitações para as novas áreas do pré-sal não serão tão rápidas como se imagina. A matéria informa que Gabrielli teria dito, em relação à capitalização da empresa, que “se a Petrobras pagar pelo petróleo mais do que este vale, seus lucros serão menores e, no final, quem perde é a União, que é a acionista majoritária.” A agência informa também que Gabrielli teria dito que a Petrobras já opera 88% dos blocos marítimos e, portanto, o caráter de operadora exclusiva dos campos não traz muita novidade.

Petrobras adverte que as licitações para o pré-sal não serão rápidas

http://spanish.china.org.cn/international/txt/2009-09/03/content_18456802.htm 

A Agência Lusa publicou matéria sobre as mudanças anunciadas nas regras de exploração de petróleo

Regras para o pré-sal podem afastar aporte, diz especialista

http://www.agencialusa.com.br/index.php?iden=26554 

O despacho da EFE dizendo que as reservas do pré-sal permitirão que o Brasil suba do 16º ao oitavo lugar na lista das nações com as maiores reservas no mundo, segundo informações de fontes oficiais, foi publicado em vários sites da América Latina.

Brasil terá a oitava maior reserva de petróleo do mundo graças ao pré-sal

http://latercera.com/contenido/745_177263_9.shtml 

A Dow Jones publicou nota sobre a descoberta de gás natural no Recôncavo. A informação já havia sido destaque da Bloomberg na manhã de ontem.

Petrobras registra descoberta de gás natural na Bacia do Recôncavo

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20090903-709278.html 

O Wall Street Journal publicou nota dizendo que a ANP informou que a Petrobras decidiu adiar a exploração na Bacia Jequitinhonha. Segundo a nota, a Petrobras não teria explicado as razões fundamentando a decisão.

Petrobras adia perfuração de petróleo na camada do subsal em Jequitinhonha

http://online.wsj.com/article/BT-CO-20090903-715375.html 

A Bloomberg publicou matéria dizendo que a Petrobras se tornará modelo para a mexicana Pemex. Segundo a matéria, a ministra da Energia mexicana, Georgina Kessel, teria declarado que se reunirá com legisladores em breve para considerar as mudanças no setor petrolífero nacional, o que inclui usar a Petrobras como modelo.

Kessel propõe mudanças no setor petrolífero do México

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601087&sid=aEJ8nPpZgeyc 

México pode tentar se igualar à Petrobras ao estudar mudanças nas leis do petróleo

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=azE69q8hz994# 

A Bloomberg publicou despacho sobre como a descoberta da BP pode levar a novos investimentos e mais interesse no petróleo no Golfo do México. A Petrobras é citada como uma das parceiras da BP no poço Tiber.

Descoberta gigantesca da BP pode ressuscitar a exploração do Golfo americano

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=aWtSXzBF5kQg 

A revista The Economist cita a Petrobras em matéria sobre as licitações do Orinoco, na Venezuela. A matéria diz que a razão para este atraso é que os termos em oferta são “ainda mais rígidos do que os da nova proposta brasileira” para a regulamentação do petróleo e, portanto, a incerteza é maior. A matéria destaca que o fato de a PDVSA querer 60% de participação e controle operacional do bloco, sem que tenha que disponibilizar nenhum fundo, não ajuda em nada, porém, a Rússia e a China, sedentas por petróleo, podem ter que aceitar a proposta. A Petrobras está entre as petrolíferas interessadas na exploração do bloco.

Uma proposta obscura

http://www.economist.com/world/americas/displaystory.cfm?story_id=14382525         

A Petroleum Intelligence publicou matéria sobre a cobertura da mídia sobre a relação do Brasil com a China. Segundo a matéria, a mídia deu maior destaque à transação de US$ 10 bilhões entre os países do que à relação da Petrobras com as petrolíferas chinesas.

Petrobras e petrolíferas chinesas pretendem expandir sua colaboração

http://www.energyintel.com/DocumentDetail.asp?Try=Yes&document_id=636579&publication_id=3 1

A BNamericas publicou nota dizendo que a Braskem manifestou interesse formal de participação no Comperj para a produção de resinas termoplásticas e alguns aromáticos segundo matéria do Estado de São Paulo.

Braskem manifesta interesse formal no Comperj

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-723326881-1566162043&key=D|139846|S|0|x|723326881 

Em notas menores, a BNamericas informou que o fundo de pensão controlado pelo Banco do Brasil, Previ, não decidiu ainda se participará do aporte planejado pelo governo federal para a Petrobras.

Previ indeciso quanto ao aumento de capital da Petrobras

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-723310235-1566106689&key=D|139846|S|0|x|723310235   

A Upstream impressa tem duas matérias sobre o anúncio da proposta do novo marco regulatório. A principal matéria dá destaque à satisfação de José Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras, com a nova proposta. A matéria relata a entrevista coletiva concedida por Gabrielli no dia seguinte ao anúncio.

A edição também publica matéria sobre a capitalização da Petrobras, afirmando que a media tornará a Companhia mais saudável do ponto de vista financeiro.

A Upstream publicou, neste sábado, matéria sob o título “Petrobras revela detalhes da lei do petróleo”. O texto fala das novas regras para a exploração do petróleo no Brasil, do papel de destaque da Petrobras nesse novo cenário, bem como a criação da no estatal responsável pela fiscalização do setor. Toca ainda na disputa do Congresso Nacional que já começou a se travada sobre os projetos que regulamentam o tema.

A Upstream impressa noticia ainda a descoberta gigantesca da BP no Golfo do México e cita a Petrobras como uma das empresas responsáveis pela exploração do poço Tiber.

Outra reportagem da Upstream impressa fala sobre o contrato entre a Petrobras e a Secretaria das Finanças do Rio de Janeiro para o controle e supervisão da renda proveniente dos royalties, participação especial e ICMS do petróleo. Segundo a matéria, Almir Barbassa, diretor financeiro da Petrobras, teria dito que a empresa enviará relatórios trimestrais para o estado carioca com informações sobre renda não tributável como participação especial e royalties do petróleo.

A Upstream impressa também traz matéria dizendo que um consórcio formado pela Engevix e a GVA sueca apresentou a melhor proposta para a construção de 8 flutuantes para descarregamento, armazenamento e produção a serem usados pela Petrobras.