Destaques Internacionais

Emissão de ações para exploração do pré-sal e injeção de CO2 em poços

 

A agência de notícias chinesa Xinhua distribuiu despacho sobre as emissão de ações da Petrobras para conseguir recursos para pagar os direitos de exploração de cerca de 5 bilhões de barris de petróleo nas reservas do pré-sal. Segundo a agência, o presidente José Sergio Gabrielli teria dito em audiência na Câmara que os acionistas atuais terão prioridade na compra de ações e os minoritários terão seus direitos garantidos. Segundo a matéria, Gabrielli teria dito que a tecnologia atual permite afirmar que a exploração do pré-sal é economicamente viável, embora possam existir dificuldades até 2030 se não forem introduzidas novas tecnologias.

Petrolífera brasileira emitirá ações para explorar o “pré sal”

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-737694125-1590235356&key=D|139846|S|0|x|737694125

A Reuters e a Xinhua deram matérias sobre os planos da Petrobras de reinjetar dióxido de carbono nas reservas de petróleo para aumentar a produtividade dos blocos e reduzir emissões, de acordo com declaração de Solange Guedes, gerente executiva da empresa. Segundo a matéria, Guedes teria declaração que a produção pode aumentar significativamente com o método. A Upstream reproduziu a matéria da Reuters.

Petrobras planeja injeção de CO2 nos campos em águas profundas

http://www.reuters.com/article/rbssIntegratedOilGas/idUSN2945512720090929

Petrobras interessada em aumentar a produção com CO2

http://www.upstreamonline.com/live/article193690.ece

Petrolífera brasileira reinjetará CO2 nos poços

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-737694416-1590236391&key=D|139846|S|0|x|737694416

A Reuters distribuiu despacho sobre a declaração da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, de que a região do pré-sal pode conter entre 25 e 100 bilhões de barris de petróleo. Segundo a matéria, a ministra teria ainda declarado que o plano de produção compartilhada proposto pelo presidente Lula eliminaria o risco do governo e garantiria que o petróleo pertencesse ao Brasil. A matéria cita a intenção do governo de que a Petrobras seja a operadora exclusiva da região do pré-sal e de que a empresa tenha 30% de participação em todas as concessões. Segundo a Reuters, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, teria dito que uma única operadora no pré-sal ajudaria a reduzir os custos.

Pré-Sal pode conter entre 25 e 100 bilhões de barris

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aScXyMKQHvIg

A agência de notícias italiana Ansa fez reportagem afirmando que a Fiesp manifestou reservas sobre o novo marco regulatório para o petróleo, devido ao monopólio que este outorga à Petrobras. Segundo a matéria, de acordo com o diretor da Fiesp, Carlos Cavalcanti, a iniciativa privada pode ser prejudicada com a decisão de a Petrobras ser a única operadora do pré-sal.

Industriais contra o “monopólio” da Petrobras

http://www.ansa.it/ansalatina/notizie/notiziari/brasil/20090929171934954373.html

A Bloomberg publicou despacho dizendo que o terceiro maior fabricante de produtos químicos dos EUA, DuPont, pode construir uma planta no Brasil para fornecer produtos químicos utilizados por empresas de energia na perfuração de petróleo e gás natural. Segundo a matéria, a DuPont espera que a demanda da Petrobras por revestimento de tubulação aumente no Brasil com o desenvolvimento das reservas do pré-sal. A Bloomberg informa que a empresa deve discutir com a Petrobras para saber qual seria a demanda.

DuPont estuda a construção de uma planta química no Brasil

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=ardU59CqelSI

A BNamericas publicou matéria sobre a extensão do contrato da plataforma elevadiça da Petrobras com a Scorpion Offshore até 2012.

Petrobras extends jack-up contract with Scorpion Offshore

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-737600601-1590012617&key=D|139846|S|0|x|737600601

Reportagem da EFE destaca o pedido de paralisação, pelo TCU, das obras nas refinarias Abreu e Lima e Getúlio Vargas, ambas da Petrobras. A matéria informa que a Petrobras negou ter elevado o orçamento para as obras de forma irregular ou ter cometido qualquer outra irregularidade em suas obras. Segundo a EFE, a petrolífera teria destacado que apresentou a documentação exigida e que os critérios do TCU são “insuficientes” para suas obras, que são de “grande complexidade” e com características muito particulares.

TCU pede paralisação de obras em 2 refinarias da Petrobras

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-737710616-1590307974&key=D|139846|S|0|x|737710616

Na Venezuela, o jornal El Mundo traz artigo de opinião sobre as descobertas da Petrobras no pré-sal, diz que isso criou um novo impulso para empresas de petróleo, cita as descobertas no Golfo do México, novas iniciativas na Rússia e na África.

Na versão em inglês do site da França Easybourse, nota com base na Dow Jones dizendo que, segundo declarações do presidente Gabrielli em depoimento no Congresso, a Petrobras não precisa captar recursos no mercado se os preços do petróleo ficarem nos níveis atuais.

O site da Offshore publica nota sobre assinatura de contrato da Petrobras com a Cameron no valor de US$ 500 milhões.