Destaques Internacionais

Marco regulatório do pré-sal e fusão de petroquímica são destaques  

 

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, acredita que se chegará a um acordo no Congresso para aprovar a regulamentação da exploração das reservas do pré-sal no primeiro trimestre de 2010, segundo despacho distribuído pela EFE.  Gabrielli teria afirmado, no 10º Encontro da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, que “há muitos pontos de convergência” em relação ao novo marco regulatório proposto pelo presidente Lula. A matéria lembra que a primeira votação deve ser em 10 de novembro.

Petrobras confia nos avanços para regulamentar a exploração do pré-sal

http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5iUBN3CuG-GvOfisAH-jhlS9fmjNw

A BNamericas publicou matéria dizendo que a fusão da Braskem e da Quattor pode acontecer em fins de outubro ou princípio de novembro, segundo reportagem original da Folha de S.Paulo. A matéria informa que a Braskem, a Quattor e a Petrobras admitiram estar discutindo uma possível fusão e alianças comerciais estratégicas, porém não teria fixado o prazo para a conclusão das negociações. A agência de notícias Xinhua dá destaque à Petrobras. Segundo a matéria, um porta-voz da empresa teria negado que a petrolífera tenha considerado capitalizar a Quattor ou que tenha recebido proposta para a mesma. A Xinhua revela que Paulo Roberto da Costa, diretor de Abastecimento da empresa, teria dito que se empresas nacionais não se interessarem em participar do projeto do Comperj, a Petrobras poderia buscar sócios no exterior e examinar outras alternativas para obter o capital necessário.

Braskem e Quattor poderiam fazer fusão no fim de outubro

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-741141728-1595581211&key=D|139846|S|0|x|741141728

Petrolífera brasileira descarta capitalização da petroquímica Quattor

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-741137322-1595573960&key=D|139846|S|0|x|741137322

No México, o jornal El Universal de ontem traz artigo de Javier Santiso, diretor do Centro de Desenvolvimento da OCDE, sobre as multinacionais latinas e a inovação tecnológica. Diz que, para destruir mais um mito, “neste caso a impossibilidade de inovar em setores tradicionais, vale a pena destacar a Petrobras, transformada em uma multinacional de ponta por sua capacidade tecnológica de prospecção e extração em águas profundas”.