Destaques Internacionais 8/7/2010

Processo de conversão de biomassa em biocombustíveis é destaque nesta quarta

A Petrobras criará uma aliança com a empresa holandesa BIOeCON para desenvolver um processo de conversão melhorada de biomassa que possa ser usada na produção de plásticos “verdes” ou transformar-se em biocombustíveis, segundo informe da Petrobras repercutido pela BNAmericas e pela ADP LAtin American News. A nova tecnologia, chamada Bi-Chem – conversão química de biomassa –, usa a biomassa presente sem resíduos agrícolas como o bagaço da cana de açúcar.

 Petrobras e BIOeCON associam-se para desenvolver biocombustíveis e químicos “verdes”

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-886820926-1825300132&key=D|139846|S|0|x|886820926

Petrobras forma parceria por biocombustíveis com a holandesa BIOeCON

http://ewatch.prnewswire.com/rs/display.jsp?a=20579-886519355-1824834843&key=D|139846|S|0|x|886519355

O Nikkei afirma que empresas japonesas que querem fornecer plataformas flutuantes de produção estão começando a navegar para o que consideram “águas mais valorizadas”, como as dos campos do pré-sal brasileiro, onde a Petrobras deve investir cerca de US$ 220 bilhões até 2014. A matéria ainda informa que a Nippon Yusen KK já trabalha, em parceria com a Itochu Corp., para construir e operar uma estrutura de extração de petróleo cru a mais de dois mil metros de profundidade, em projeto que deve render US$ 3,8 bilhões em 20 anos.

A Reuters divulga que o governo peruano autorizou a Petroperu S.A. a assinar uma extensão ao contrato de licença para a exploração de hidrocarbonetos no Lote 117 no qual a Petrobras Peru cederá 25% de sua propriedade à Ecopetro de Peru. O decreto determina que a Ecopetrol terá 25% de participação no Lote 117, operado pela Petrobras, cuja propriedade cairá para 50%. Os 25% restantes continuarão a ser propriedade do ramo peruano da Inpex North Peru Ltd.

No Paraguai, o jornal ABC  diz que a Petrobras lidera os investimentos no setor de petróleo no mundo em 2010, segundo dados do Centro Brasileiro de Infraestrutura.

No site da Business Week, materia diz que o custo de proteção contra default da Petrobras aumentou em relação ao da Pemex devido à preocupação com possível aumento dos custos de perfuração em águas profundas.

No International Business Times (jornal de negócios online), matéria diz que a ExxonMobil e a Petrobras podem fechar suas unidades de refinaria no Japão devido à nova regulamentação anunciada pelo governo. Cita um porta-voz da Petrobras no Japão dizendo que a empresa não decidiu o que fazer.

No International Herald Tribune (edição internacional do NY Times), matéria diz que o acidente com a plataforma da BP no Golfo do México vai favorecer as estatais de petróleo. Segundo a matéria, a moratória em operações offshore de petróleo nos EUA e regras mais duras para produtores em todo o mundo vão aumentar custos e permitir que países com reservas de petróleo obtenham melhores condições de empresas multinacionais. Diz que as multinacionais podem ser forçadas a compartilhar expertise e tecnologia com estatais para ter acesso a campos offshore.